Novidades

4 de maio de 2017

Fast Review: Clube da Luta 2

Original: Fight Club 2
Editora: LeYa Dark Horse Comics
Roteiro: Chuck Palahniuk 
Arte: David Mack / Cameron Stewart 


Comprei essa Clube da Luta 2 no lançamento, ainda no ano passado, mas acabei querendo rever as obras anteriores mais uma vez antes de lê-la. Acho que ai que começa o meu problema com ela, já que gosto muito do livro e do filme.

Quando nos deparamos com a primeira página da HQ é impossível não elevar nossas expectativas a um nível não muito saudável. E por que já estou destruindo suas expectativas a partir daqui? Porque, infelizmente, o nosso queridíssimo Chuck Palahniuk, apesar de ter escrito uma HQ um pouco acima da média, acaba nos levando por uma jornada previsível, se você já está bem familiarizado com a obra anterior, e, em questão de narrativa, o que é um dos grandes méritos do Clube da Luta original, não é muito inovador se você é um fã de quadrinho de longa data.
A história de Clube da Luta 2 se passa logo após os acontecimentos do livro e mostra como Sebastian, nosso problemático Narrador na história anterior, seguiu sua vida a base de remédios para manter-se lúcido. Basicamente é a vida de um cidadão comum: trabalho, casa e família. Aparentemente isso não agrada Marla Singer, agora sua esposa, que tenta trazer toda a "glória" dos dias anteriores ao lado de Tyler Durden. Como? Tirando os remédios de seu amado marido.
Com a continuidade da história vemos que a trama é bem maior do que "Marla cansada da vidinha comum com seu marido de calasse média", e isso é muito bom, mas em alguns momentos acaba extrapolando o bom senso.

Uma das coisas que mais me decepcionou na obra é a necessidade de tentar explicar coisas que o autor acha, e provavelmente ele está certo, que as pessoas não entenderam na obra anterior de uma forma não muito sútil.

O formato do quadrinho está muito bom. A editora LeYa colocou as mesmas proporções do livro, o que ajuda na hora de empilhar um do lado do outro - será que só eu me preocupo com isso? A capa é cartonada, mas recebe toques texturizados em algumas partes, assim como acontece internamente. Minha edição veio acompanhada de um poster, mas a qualidade dele não segue o mesmo esmero dado à HQ.

A arte de capa é um deleite para qualquer fã de quadrinhos e fica na mão de David Mack, conhecido pelos excelentes trabalhos em Alias e Demolidor, e a arte interna é por conta de Cameron Stewart, que entrega um bom trabalho, mas nada extraordinário.

Aparentemente você só pode comprá-la na internet pelo site da Submarino. Na data deste review o preço é de R$ 59,90 pelas suas 280 páginas.




Atos Finais