Novidades

29 de setembro de 2016

Mr. Robot - 2ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae, galera, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar sobre a segunda temporada de Mr. Robot. Vamos lá:


ENREDO: como vimos no fim da temporada passada, Elliot cometeu um ciber-golpe (gíria hacker) que deletou todos os dados digitais do maior conglomerado bancário do mundo, a E(vil) Corp. No início dessa temporada, vemos Elliot totalmente alheio a este gigantesco golpe, pois ele está mais preocupado em lidar com sua outra personalidade: Mr. Robot. Só aos poucos que descobrimos um outro grande motivo pelo o qual Elliot está distante da perturbada realidade ao seu redor...
...porém, aos poucos Elliot vai abrindo seus olhos não apenas para as consequências de seu grande “hackeamento” à E Corp, mas também para o que o levou a cometer tal ato (passado) e quais são os próximos passos no ataque a esta empresa (futuro). O problema é que estes dois questionamentos são prejudicados por uma mesma razão: Elliot não consegue se lembrar de quase nada, sendo que as respostas estão ou com o Mr. Robot, que não quer revelar nada pro Elliot; ou com Tyrell, que é um antigo executivo da E Corp que ajudou Elliot, e que desapareceu; ou com o Dark Army (uma misteriosa e poderosa organização de hackers).

Enquanto Elliot lida com seus problemas pessoais, vemos sua irmã Darlene tentando liderar a F Society, grupo hacker criado por Elliot. Enquanto vemos ela seguir em sua cruzada de vingança contra a E Corp, acompanhamos também a jornada de Angela, que possui um objetivo de vingança semelhante, mas que está agindo por dentro da E Corp. Mal sabem elas que o FBI está procurando fervorosamente qualquer pessoa ligada ao devastador ataque à E Corp, que devastou a economia americana...
...porém, como vimos no fim da temporada passada, este ataque encabeçado por Elliot não representou o fim do jogo para a E Corp, sendo que vemos que há uma conspiração muito maior envolvendo o CEO da empresa, Phillip Price, e o líder do Dark Army, Whiterose, sendo que aos poucos vamos entendendo mais sobre a relação entre os dois, restando saber qual é o papel de Elliot neste tabuleiro (valendo relembrar que ele é um esquizofrênico, com uma outra personalidade que vive tomando o controle de seu corpo, que o faz ter noção nenhuma do que é real ou não)...

EAE, VALE? Nesta temporada vimos duas tramas principais envolvendo Elliot: seu conflito com Mr. Robot (que em alguns momentos se transforma em cooperação); e seus planos em conjunto com outras pessoas para derrubar a E Corp e revolucionar o mundo. A primeira foi muito bem sucedida, conseguindo transmitir a nós o desespero de ter uma mente tão confusa como a de Elliot (apesar de ter um desenvolvimento meio lento). 

Porém, conforme temia deste o fim da temporada passada, o plot de "grande conspiração" foi bem fraco, com vários momentos que não fizeram sentido ou que não cativaram o suficiente (ex: a relação entre os líderes da ECorp e do DarkArmy), sendo que só gerou mais perguntas ao invés de entregar resposta. Grandes riscos de MR. ROBOT se tornar a série com um início genial, grandioso e misterioso, mas que no fim entrega um final nada satisfatório...
Além de Elliot, tivemos alguns outros personagens com destaque, como Darlene, que teve que liderar a F Society; Angelica, que em sua busca por atingir a E Corp por dentro acabou se envolvendo em algo maior; e Dominique DiPierro, uma dedicada agente do FBI que aos poucos vai descobrindo mais sobre os membros da F Society e sobre o Dark Army

O problema é que o desenvolvimento destAs personagens nem sempre é interessante. Há potencial, mas a série tem uma mania de sempre deixar suas personalidades mais complexo do que o necessário (ex: DiPierro não pode ser só uma agente top do FBI... precisa ser uma agente que paga de alternativa badass no trabalho, mas que na verdade é uma pessoa solitária e depressiva).
Fora estes pontos mencionados, vale apontar a qualidade da direção da série, que continua incrível, se destacando de qualquer outra série na tv por seu estilo cinematográfico. Cabe lembrar que o roteirista da série dirigiu todos os episódios desta temporada (o que é beeem raro), e assim, caso o roteiro peque um pouco, ele acaba conseguindo recuperar na direção, criando cenas incríveis (ex: o episódio que se passa na cabeça do Elliot, ou os ataques repentinos feitos pelo Dark Army).

No fim, MR. ROBOT manteve a excelente direção da primeira temporada e um protagonista muito interessante. Porém, a série decaiu ao tentar criar uma grande conspiração por baixo dos panos que, na verdade, só gerou momentos sem sentido e cansativos. Resta esperar que a próxima temporada tenha um ritmo melhor, e que entregue mais respostas do que perguntas, pois a relação de Elliot com Mr. Robot já não bastam para sustentar a qualidade do seriado.










Atos Finais