Novidades

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Fast Review - Homem-Animal: Nascido pra ser Selvagem

HOMEM-ANIMAL: NASCIDO PARA SER SELVAGEM
VERTIGO/PANINI (maio de 2016 – R$ 24,90)
ROTEIRO: Peter Milligan


Buddy Baker, vulgo Homem-Animal, acordou de um longo período de coma, sendo que logo percebe que há algumas coisas estranhas ao seu redor, como sua mulher ter trocado de visual (e humor), e sua filha insistir que ele não é seu pai de verdade. Aos poucos, Buddy percebe que estas mudanças estão cada vez mais complexas, incluindo a inexistência de fatos históricos que ele tem certeza que ocorreram, levando-o a questionar o que há de errado com a realidade em sua volta...

Se tais bizarrices em sua vida não bastassem, Buddy ainda precisa lidar com um descontrole de seus poderes, que parece estar ligado com a aparição de um estranho ser pré-histórico. E mesmo com seus poderes e sentidos pertubados, Buddy é chamado pra lidar com uma série de vilões bizarros, que podem acabar ajudando Buddy a entender o que há de errado em sua vida.

Depois de uma fase tão fenomenal escrita por Grant Morrison, é surpreendente como Peter Milligan conseguiu escrever algo tão sem graça e cansativo. Parece que Milligan quis elevar os traços de loucura do Homem-Animal ao máximo, criando um roteiro totalmente desconexo e sem graça, com personagens igualmente pirados e irritantes (nem falar direito os caras sabem). Tudo pra chegar na conclusão final de que há diversas realidades e de que um erro um uma gerou uma reação em cadeia nas outras; conceito interessante, mas que não apaga toda a trama anterior desestimulante.



Atos Finais