Novidades

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Trilogia A Busca do Graal

Pois bem, pois bem! Eae, trutas, de boa? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar de uma trilogia de livros do Bernard Cornwell: A Busca do Graal. Vamos lá:


Bernard Cornwell, autor da trilogia Crônicas de Artur e de Crônicas Saxônicas, começou esta saga no ano 2000, com o livro O Arqueiro, lançando O Andarilho dois anos depois, e finalizando com o livro O Herege em 2003.


ENREDO: O Arqueiro nos apresenta a Thomas, filho do padre da pequena vila inglesa de Hookton. Certo dia, a aldeia de Thomas é atacada por um misterioso homem chamado Harlequin, sendo que Thomas descobre posteriormente que tal ataque foi direcionado contra seu pai, pois este teria a posse de dois tesouros da cristandade: a lança de São Jorge & o Santo Graal.

Já que sua vila foi totalmente destruída, Thomas resolve ir embora para cumprir seu sonho de ser um arqueiro inglês, indo lutar na guerra contra a França. Lá, ele conhece sir Guillaume d’Evecque, um cavaleiro francês que já encontrara Thomas no passado e que impele o jovem inglês a não esquecer-se de sua missão de recuperar aquilo que foi roubado pelo Harlequin.

Em O Andarilho continuamos a ver Thomas descobrindo mais sobre o passado de sua família – os Vexille – e a relação deste clã com o Graal. Tudo isto enquanto Thomas continua a procurar o sagrado artefato a contragosto, por ordem da coroa inglesa, indo a locais como a fronteira entre a Inglaterra e Escócia (aonde vira amigo do escocês Robbie Douglas).

No meio dessa busca, Thomas e Robbie acabando voltando à França para ajudar amigos em apuros, como sir Guillaume; para cumprir promessas antigas e tentar encontrar o Harlequin, que também faz parte da família Vexille.

Por fim, em O Herege Thomas vai até as antigas terras da extinta família Vexille para tentar encontrar o Santo Graal. Porém, outras pessoas, como clérigos e lordes, também estão atrás desta relíquia, valendo lembrar ainda do primo de Thomas, Guy Vexille (o harlequin). Se não bastasse tais problemas, Thomas ainda enfrenta traições e revoltas no meio de seus soldados, por causa de uma mulher pagã, e o surgimento de uma praga terrível que promete devastar a Europa...

EAE, VALE? o que mais motiva a leitura deste livro são as outras obras escritas por Bernard Cornwell, como As Crônicas de Artur. Porém, a trilogia A Busca do Graal não chega perto de possuir o mesmo brilho que outras obras do autor.

Há elementos clássicos da literatura de Cornwell ali, como a base histórica e cenas de batalha envolventes. Porém outras características fundamentais presentes nas outras obras de Cornwell fizeram falta nesta trilogia, sendo a principal delas o carisma do protagonista. Thomas é um personagem frio e confuso, que não para de reclamar de seu destino, sendo que em nenhum momento é divertido como os protagonistas de outros livros do autor.

Outro ponto clássico dos livros de Cornwell que foi alterado, nem sempre favoravelmente, foram as cenas de batalha. O livro acerta ao tirar o foco da infantaria para mostrar como era a vida dos arqueiros, trazendo toda a mitologia dos arqueiros ingleses. Porém, o livro insiste em sempre colocar uma espada na mão dos personagens ao fim da batalha, apagando a empolgação trazida previamente pelas batalhas com arco e flecha.

Já que nem o protagonista do livro parece se interessar pela busca do Graal, o leitor acaba não se interessando também. Até porque em nenhum momento a jornada é grandiosa, deixando de passar aquele clima emocionante de caçada ao tesouro.

Como nem os pontos positivos padrões dos livros do Cornwell estão presentes, os negativos acabam se realçando mais. Vale citar a ausência de personagens femininas importantes, que só servem para serem amantes de Thomas. Temos ainda, ao longo de cada livro, um vilão que é trabalhado como um guerreiro terrível e habilidoso, que só serve pra morrer no conflito final.

Para finalizar, e pra não ficar só falando mal, o contexto da guerra entre Inglaterra e França é interessante. Tal conflito nem sempre é mostrado pelos olhos do protagonista, sendo que há capítulos em que acompanhamos uma batalha de acordo com a visão do comandante do exército. Outro acontecimento histórico que foi muito bem apresentado foi o início da peste negra (pena que só apareceu no final). 



A Busca do Graal é uma trilogia que, pelo título, parece ser algo grandioso. Todavia, apesar da ambientação medieval ser interessante, a série possui mais erros do que acertos, como um protagonista sem graça que só fica reclamando de sua missão, que passa longe da grandiosidade. Cornwell possui vários livros incríveis e realmente obrigatórios, mas infelizmente esta trilogia não se encaixa nesta lista.


Atos Finais