Novidades

8 de julho de 2016

Deixem os garotos crescerem


A Tão famosa síndrome de Peter Pan.
Relendo a edição #121 de janeiro de 2012 do Homem Aranha da Panini, "Um Momento no Tempo", me entristece em lembrar que parte da vida dele foi apagada de uma maneira totalmente absurda.
Nessa edição, é explicado o motivo de Peter Parker ter feito um pacto com Mefisto para salvar a vida daqueles que ele ama e coloca em risco todo dia.
Todos sabiam que Peter Parker era o Homem Aranha por causa da Guerra Civil e do controle de Tony Stark sobre ele. Um atentado à vida do Teioso dá errado, e o tiro acaba pegando na Tia May, que fica a beira da morte (novamente). 


Isso faz o herói voltar a usar o uniforme negro e atuar com mais agressividade para caçar o autor do tiro. Essa fase, chamada de "Back in Black" e depois, "One More Day", culminou com Peter tentando achar uma forma de salvar sua família, o que resulta no tão famoso pacto com Mefisto.

Ao invés de perder sua alma para o demônio, Peter e Mary Jane perderiam sua vida de casados e sua filha não nascida, voltando à época em que os dois não ficavam juntos.


Mas onde eu quero chegar com isso?

Em vez de darem um passo pra frente com o personagem, preferiram dar dois para trás.

O quão bacana seria ler sobre um Peter Parker adulto, pai, lidando com problemas maiores do que os ataques do lagarto no esgoto de Manhattann? Em 2050, Peter Parker estará enfrentando os mesmos vilões, com os mesmos problemas de contas pra pagar e uniforme rasgado.

Isso reflete ainda mais em alguns pensamentos que tenho de como a indústrias dos quadrinhos afeta os personagens de maneira negativa.

Com a mania de manter os personagens chave temos 4 Superman na DC, 3 Coringas, "uma" Homem de Ferro, Capitão América indo e voltando e etc... O único que mantém mudança é o Thor, sendo por enquanto, título de Jane Foster.

Larguem o osso, deixa o garoto crescer. 
Deixem os heróis mudarem juntos dos seus leitores e acompanharem as gerações de maneira natural.

Quase 80 anos de quadrinhos com nossos personagens parados no tempo. 

Atos Finais