Novidades

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Fast Reviews - Homem Animal: Origem das espécies.

"Somos todos palavras numa página. Achei que você precisava saber."





Homem-Animal - Origem das Espécies/Animal-Man - Origin of the species

Roteiro: Grant Morrison
Arte: Chaz Truog, Doug Hazlewood, Tom Grummett, Steve Montano e Mark McKenna
Cores: Tatjana Wood
Editora: Panini

Como segundo de Três volumes, Origem das Espécies traz um ar totalmente diferente do que vimos em Evangelho do Coiote. Grant Morrison, mais uma vez, desconstrói por completo o Homem-Animal e nos faz pensar: Quem Precisa de um herói com poderes animais?

Com muito bom humor, vemos nesse encadernado quem de fato é Buddy Baker - Um herói inseguro e cheio de dúvidas. Com a aparição dos ET's responsáveis pelo Continuum, temos revelações que não só desconstroem o Homem-Animal, mas também preparam o que está por vir no terceiro encadernado. É em "Origem das Espécies" que começam explorar a metalinguagem de forma irônica, satirizando as motivações de existência dos personagens de quadrinhos e preparando os leitores para o que está por vir no terceiro encadernado. 

Ressuscitando personagens também obscuros, como: Homem-Elemento, Comandante do Tempo e Fera Buana, Morrison consegue tratar com extrema criticidade, assuntos como racismo, política, vegetarianismo e violência contra os animais. 

Apesar de ter uma história divertida como um todo, Alguns pequenos sub-arcos do encadernado acabam sendo sendo um tanto quanto chatos, como: "Fora da África". Após mostrar como o personagem pode ser complexo, Morrison leva o Homem-Animal para uma história extremamente descontextualizada em meio a tamanha loucura. Acho que apenas a narrativa nada linear do quadrinho pode justificar a existência desse arco. É uma historinha de herói idiota e vilão imbecil que está lá apenas para apresentar pequenos elementos da trama principal, somente em seus últimos quadros.

Os artistas são, de uma forma geral, competentes. As cores vibrantes de Tatjana Wood são um fator importantíssimo para a construção do tom divertido do quadrinho. Há um contraste notável de cores nas cenas que mostram a nossa realidade quando comparadas às cenas comuns da HQ



 



Homem animal de Grant Morrison também foi lançado no Brasil pela Editora Brainstore (incompleto) e pela Abril em DC 2000 (completo).


Falamos também de:
                                        





Atos Finais