Novidades

terça-feira, 24 de maio de 2016

Preacher 01x01 - Pilot

Abram suas bundas e orifícios para Preacher...


Bom, pessoal, como muitos de vocês devem saber, estreou no último domingo, dia 22 de maio, a série "Preacher", baseada no quadrinho homônimo de Garth Ennis e Steve Dillon. E como nós do Pdi não dispensamos nenhum conteúdo ligado a quadrinhos, estamos dispostos a falar bastante sobre essa série...principalmente se ela se mantiver como um produto de entretenimento de qualidade. Por isso, cá estou eu fazendo esse reviewzinho sobre o primeiro episódio da série e quiçá dos demais episódios. Prometo me esforçar :)

A série não pretende ser uma adaptação literal dos quadrinhos, e como eu li muito pouco, não esperem que eu faça comparações, ou que julgue esse ou aquele determinado plot com relação aos quadrinhos. Eu não tenho conhecimento, logo, não tenho como opinar.

Pra começar, uma sinopse leve da série.


"Jesse Custer, um pregador em conflito em uma pequena cidade do Texas, é possuído por uma entidade misteriosa que lhe permite desenvolver um poder muito pouco convencional. Jesse, sua ex-namorada, Tulip, e um vampiro irlandês chamado Cassidy embarcam em uma jornada para, literalmente, encontrar Deus."

Como o foco do episódio variou um pouco entre seus três protagonistas, vou dividir esse texto em três tópicos, ressaltando(ou não) o que rolou de relevante com eles aqui. Vamos lá...


Jesse

O Jesse apresentado nesse piloto é um cara frustrado. Apesar de seus esforços para ser um bom pastor para o seu rebanho, ele é falho, e não consegue alcançar seu objetivo. Não que os fiéis da igreja ajudem muito. Tendo que se virar numa cidade pequena, ele demonstra se importar, ou ao menos tentar, com os problemas e dramas ao seu redor. Sua grande trama no episódio vai se desenvolvendo quando um garoto o procura pedindo por ajuda, para lidar com seu pai, um sujeito que seria violento com a esposa. Nada melhor que recorrer ao seu líder espiritual quando aparecem problemas, certo? Nem tanto. O Garoto procura Jesse por conta de seu passado criminoso (algo que aparentemente é reconhecido pela comunidade)  para que possa ajudá-lo a dar um fim ao próprio pai. Esse apelo a violência deixa um pouco claro a frustração do personagem, que mais tarde vai conversar com a mãe do garoto(que diz que gosta da violência que sofre...), e depois com o pai. Ele tenta resolver as coisas no diálogo e...bem, acaba apelando para a agressão.


Em alguns momentos do episódio, temos flashbacks de Jesse com seu pai que, aparentemente, também era um pastor. Neles seu pai está prestes a ser assassinado, com uma arma na cabeça, e apela para que seu filho seja um dos caras bons, afinal, o mundo já está cheio de caras maus. Essa parece ser a principal deixa para que o personagem tente, apesar de seu possível passado criminoso, e da situação em que se encontra, ser um cara correto, que tenta agir de acordo com as pessoas ao seu redor, como quando visita o cara-de-cu, e tente reconfortá-lo, além da já citada trama de violência doméstica onde ele tenta intervir.

Já no piloto, ele é possuído pela "voz de deus" só que isso mal é explorado. Ocorrendo perto do final do episódio, o encontro entre  Jesse e a entidade(que mata um pastor na África logo no início do episódio) não tem tanto peso, e isso acaba sendo algo negativo. Logicamente, com o final do episódio mostrando o efeito desse "poder", a gente entende do que ele se trata e com certeza isso será melhor explorado com o passar dos episódios, mas aqui, basicamente, ele entra dentro dele e ele nem percebe o que aconteceu, acordando dias depois. É uma negligencia meio tosca. A gente sabe que vai ser explorado. A gente sabe que vai ser explicado. Mas aí, eles vão lá e colocam uma entidade indo em direção ao cara e aí...boom, desmaio, acorda dias depois, como se nada tivesse acontecido. É, pois é. Dá pra resumir o encontro com o gif abaixo.


Cassidy

Vamos lá que não tem lá muita coisa pra se falar da participação do vampiro no piloto. Resumindo: Ele tá num avião, distribuindo drogas, bebidas pra uma galera. Percebe que o avião não está indo pra onde deveria ir, descobre que é uma armadilha, os caras se revelam caça-vampiros, ele mata todos os caras numa porradaria que como bem disse o papaco: "Lembra um Kingsman baixa-renda". Daí ele pula do avião e cai na cidadezinha do pastor Jesse Custer. Ele dá uma ajudinha ao protagonista, vai preso junto com ele, acha ele um padre muito louco(melhores adjetivos), e depois que o Custer fica desacordado por conta do seu encontro com a "voz de deus", Cassidy se muda pra igreja. Basicamente, ele é um fodão bon vivant porradeiro que se diverte com bizarrices. Não sei se resumi muito bem...mas é que já tá grande o texto, e o personagem não foi lá muito desenvolvido...e chega de desculpa.

Tulipa

Apresentada como alguém do passado de Jesse, ela teve seu próprio flashback nesse episódio, mostrando que a moça é bastante porradeira, por assim dizer. Forte e carismática, ela tem algumas das cenas mais estilosas e bacanas do episódio(Quem nunca pensou em fazer uma bazooka caseira com a ajuda de crianças?), embora não tenha tanto desenvolvimento dramático, entendemos que ela é uma fora-da-lei que não tem medo de ultrapassar certos limites, e que, aparentemente, volta a cidadezinha em busca do auxílio do pastor para um trabalho, além, é claro,do sentimento que tem por ele.


Enfim, o piloto de Preacher nos apresenta os personagens principais, apresenta algumas tramas de seus passados que devem ser exploradas mais a frente, além dos ganchos do presente da história, como o lance da voz de deus, dos homens que estão atrás dela, etc. O trio de protagonistas é competente e carismático. Enquanto dois deles não tem lá tanto material assim pra trabalhar no piloto, o Jesse de Dominic Cooper é o centro desse episódio, e, apesar de não ser nenhum grande ator, ele vai muito bem nessa vibe de meio ex-malandro arrependido do personagem. O episódio é competente no que se propõe, que é a apresentação desse universo e desses personagens.

Bom, espero que vocês tenham curtido a review. Erros, dicas e afins nos comentários por favor. Feedback é sempre importante.

Atos Finais