Novidades

15 de abril de 2016

Downton Abbey

Pois bem, pois bem! Eae, chuchus, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar sobre uma longa série premiada, mas que não é para todos os públicos: Downton Abbey:




ENREDO: a série se passa no início do século XX (anos 10-30), mostrando o cotidiano dos Grantham, uma família nobre inglesa que vive há tempos na mansão Downton Abbey, sendo senhores das vastas terras ao redor. A família é liderada por lord Robert Grantham, que vive com sua esposa, Cora, e suas três filhas, Mary, Edith e Sybil.


Evidente que membros da nobreza da época viviam com uma série de empregados, e por isso conhecemos também os mordomos, camareiras, cozinheiras, motoristas e uma série de outros serventes da mansão Downton Abbey.

Assim, a série vai nos mostrando a vida destas diversas pessoas que passam por Downton Abbey, relatando suas vitórias, derrotas, e outras mudanças inevitáveis que o tempo traz.


  
PONTOS POSITIVOS: eu nunca vi um “seriado estrangeiro” que se pareça mais com uma novela do que Downton Abbey. Pra facilitar a visualização, cito ainda aqueles romances do período romantista. Portanto, se você gosta de histórias do tipo “casal com personalidades conflitantes, mas que acaba se amando no final”, ou ainda “casal se apaixona, um deles é rico e não pode ficar com o outro, mas ainda assim se casam”, Downton Abbey é uma boa pedida.



Outro ponto interessante é que, por cobrir um longo período cronológico, a série utiliza-se de eventos históricos em sua trama (como o impacto da Primeira Guerra Mundial) e também de mudanças sociais que constituíram o início do século passado, como a perda de poder dos grandes aristocratas e o aumento dos direitos individuais.

Vale citar ainda um ponto recorrente em séries com grandes elencos, que é a presença de alguns personagens muito bons (valendo citar também a alta qualidade geral das atrizes e atores). Soma-se a isso um pouco do ponto anteriormente citado, pois, por acompanharmos estes personagens por tantos anos e seu respectivo crescimento, nos regozijamos com suas conquistas.




PONTOS NEGATIVOS: a principal falha de Downton Abbey foi se estender demais, sendo que o erro não foi nem em desenvolver os personagens muito lentamente, mas sim desenvolvê-los num bom ritmo por três temporadas, levando-os a um topo satisfatório, pra depois não saber pra aonde levá-los, colocando-os em plots repetitivos ou em tramas que só faziam o personagem decair da condição outrora conquistada.



Além disso, do já citado prolongamento excessivo da série veio algumas tramas totalmente sem graça, tornando ainda menos empolgante o cotidiano de uma família da nobreza. Pior que aos plots sem graça se pode somar uma série de plots idiotas, movidos por decisões bobas dos personagens (“meu deus, meu patrão não pode saber que eu trabalhava em um circo...”).

Por último, vale citar que, sendo um clássico exemplo de novela, Downton Abbey pecou por alguns personagens caricatos demais, com foco especial naqueles que eram vilões sem objetivos maiores, a não ser ferrar com a vida do colega de trabalho. Alguns chegaram até o final da série assim, sem nenhuma evolução no caráter.




EAE, VALE? Downton Abbey é um belo romance literário com temática vitoriana em formato de série de TV, incluindo nisso todos os clichês positivos e negativos desse gênero. O problema é que a série se estendeu demais, dando espaço a uma série de tramas desinteressantes e estúpidas, que nos fizeram chegar ao final da série sentindo um inevitável desgaste.


7,5/10

Atos Finais