Novidades

16 de fevereiro de 2016

Posts dos Leitores - QUAD (ou Como recuperar a fé no crowdfunding) POR: DONCAS MURRO


O Catarse e outros sites de crowdfunding têm uma característica bastante peculiar: em vez de pagar por uma obra pronta e já avaliada por especialistas, você dá um tiro no escuro. Aposta em algo que, muitas vezes, nem está finalizado. É tudo muito bacana, na base da confiança entre os financiadores e os artistas. Bom, muito bacana quando o resultado é satisfatório. Não foi isso o que aconteceu comigo uma vez. E outra. E mais outra.
Num momento de empolgação, contribuí com vários projetos ao longo de uns quatro meses. E calhou de eu receber tudo mais ou menos na mesma época. O primeiro não era tão legal, mas vá lá, estava ao menos ajudando. Aí veio o segundo e eu nem consegui terminar de ler, mas continuava apostando no modelo de financiamento. E quando chegou o terceiro, minha decepção era tão grande que eu mandei tudo às favas e jurei que não contribuiria com mais nada. Mas aí, como quem não quer nada, o carteiro bateu à minha porta e me entregou o pacote com o QUAD.






















Para ser mais específico, contribuí com o projeto do QUAD 3, de autoria de Aluísio C. Santos, Diego Sanches, Eduardo Ferigato e Eduardo Schaal. É um livro com histórias (independentes? interligadas?) em um universo de ficção científica mezzo futurista espacial, mezzo pós-apocalíptico na Terra. O bacana é que havia uma opção de contribuição em que o leitor receberia ainda as duas primeiras edições, lançadas em 2013 e 2014. Foi nessa que eu embarquei.
Em resumo, cada livro traz quatro “contos gráficos” escritos e desenhados por cada autor. Todos eles são muito bons e, ainda que haja uma diferença grande de qualidade entre os traços de um e de outro artista, o próprio clima da história faz com que a arte seja totalmente adequada. As edições nos fazem mergulhar em um mundo de diversos personagens e todos são mais do que aparentam. Entre os principais, temos o robô exorcista ESP-TRENT (uma sacada muito boa), o lixeiro motoqueiro Chefe, a mecânica Terah e seu gato Elvis e o Capitão Lucas, à bordo de sua nave.
São histórias perfeitas? Não. Mas elas evoluem bem. Os personagens são aprofundados ao longo das edições e temos pequenas pílulas do que é aquele mundo. Fica aquele gostinho de que é tudo uma coisa só, mas pode ser que não seja (embora o Chefe apareça em uma história de Terah). Um dos pontos fracos, na minha opinião, é a falta de representatividade. A terceira edição traz até mais personagens femininas (antes só tinha a Terah, que é semi-erotizada de uma maneira que não contribui em nada para a trama), mas negros são raros e homossexuais, por exemplo, passam longe das páginas.

No fim, o saldo é muito positivo. São histórias envolventes e que te fazem devorar as páginas e ler de novo em seguida. Não tenho dúvida de que a birra com o crowdfunding passou e vou voltar a contribuir com projetos. Nem que seja apenas o de QUAD 4.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Esse foi um post feito pelo fiel leitor: Doncas Murro, que também já publicou por aqui o seu conto: Roubo de Carga e agora está lançando o excelente livro  Colônia Humana - Contos e está à venda na Amazon  e na loja do Kobo
Se você também tem alguma ideia de post e quer que publiquemos para você, envie para pontodeignicao@gmail.com e Aguarde feedback.

Atos Finais