Novidades

24 de fevereiro de 2016

Master of None - 1ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae, galera, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar sobre a curta primeira temporada de uma série de comédia do Netflix: Master of None. Vamos lá:




ENREDO: a série mostra o dia a dia de Dev Shah, um jovem indiano de vinte e poucos anos que tenta ganhar a vida como ator, mas que no fundo ainda tem suas dúvidas sobre o que fazer na vida; o que ser; com quem namorar; quando namorar... um jovem normal, no fim das contas.



Enquanto conhecemos mais do cotidiano de Dev, conhecemos também seus amigos, família, trabalho e pensamentos/questionamentos que passam na cabeça dele, como qual é a hora certa pra ter filhos; o que seus pais tiveram que passar na vida; que problemas as mulheres exclusivamente precisam enfrentar; etc.

Em certo momento, uma nova pessoa entra na vida de Dev: Rachel, uma jovem inteligente e divertida que trabalha como assistente de bandas, e que aos poucos vai desenvolvendo um relacionamento com Dev. Relacionamento este bem parecido com os da vida real, com seus altos e baixos, que nem sempre termina com um “e viveram felizes para sempre”...




PONTOS POSITIVOS: o ponto alto da série é o relacionamento entre Dev e Rachel, que não é fantasiado, transmitindo muito do que ocorre na realidade: pessoas confusas que não se apaixonaram desde o primeiro momento em que se encontraram, mas que eventualmente podem tentar algo sério, apesar de suas diferenças, e que, no final, podem perceber que o relacionamento pode ou não continuar. Master of None mostra de uma maneira muito bacana estes pontos e outros que de fato permeiam nossas relações.

Além disso, a série trata de diversos outros temas interessantes, sendo alguns já mais conhecidos e outros mais inéditos: feminismo; preconceito contra indianos na TV (e contra outros grupos étnicos); relação entre pais e filhos; traição no casamento; etc. São vários assuntos importantes que passam pela vida de Dev, que nos leva a pensar sobre eles.




PONTOS NEGATIVOS: as atuações, inicialmente, parecem meio forçadas, até mesmo a do protagonista. Felizmente, aos poucos vamos nos envolvendo mais com os personagens, e os aceitando mais, mas no início há a impressão de que não estamos conhecendo personagens interessantes, mas atores querendo passar uma ideia sobre algum tema polêmico. 




EAE, VALE? Master of None pode não ser uma série hilária, mas nos apresenta temas cotidianos interessantes de maneira divertida, enquanto tenta nos passar ainda um relacionamento muito verossímil (com toda a beleza e tristeza que isso signifique), que acaba sendo o brilho da série ao longo de seus dez episódios.


NOTA: 8/10

Atos Finais