Novidades

14 de janeiro de 2016

Sobre esse tal de Orgulho Nerd



Esse é um post que eu queria fazer há muito tempo. Teoricamente, ele seria mais apropriado mais próximo do famigerado Dia Do Orgulho Nerd, mas eu não sei quando ele é.


 Oh, 25 de Maio. O.K, podemos escrever e depois compartilhar isso quando a data se aproximar.

 Então. Nerds. Esse povinho. Por muitos anos, um segmento social completamente relegado ao segundo plano em eventos sociais da escola, hoje todo mundo é nerd. Star Wars foi um sucesso, Big Bang Theory (pausa para vomitar) é uma das séries de comédia de maior audiência, e todo mundo decidiu proclamar seu amor por camisas de filmes. Com esse crescimento exponencial, chegaram as pessoas que batem no peito e gritam: SOU NERD SIM, VIDA LONGA E PRÓSPERA E O CARALHO A QUATRO. E assim nasceu a entidade chamada de Orgulho Nerd.

 Vamos por partes. De onde veio esse tal de Orgulho Nerd? Bem, como disse, nerds eram um grupo que sempre foi zoado no colégio, onde, por algum motivo, ir bem em educação física te torna mais desejável do que tirar excelentes notas. Sim, sim, muito triste para todos nós. Cry me a river. De qualquer forma, esse estigma foi trocado por um pensamento de que ser geek (para os mais descolados) é a nova onda do pedaço. Assim, era a hora da virada. Com isso, esses tais de nerds, vendo que estavam em um grupo maior, decidiram proclamar que o mundo, queridinha, estava dando voltas. 

 O problema é que, no meio disso tudo, nasceu a tão temida superioridade. Ain, eu sou nerd e por causa disso sou melhor que você, seu não-nerd. Entenda, é natural. São pessoas que eram oprimidas em diversos níveis. Com a popularização desse meio de vida, vieram aqueles que levaram as zoações de um modo extremamente pessoal. Ser nerd agora é ser superior. 

 E, jovem, você está falando merda.


 O que caracteriza um nerd? Bem, no contexto que estamos abordando, ser nerd é gostar, de forma mais intensa, de mídias características. Videogames, quadrinhos, filmes com navinhas, pew pew, soc, tum. Nós sabemos o perfil do classic nerd, vamos usá-lo por um momento. E, sinceramente, isso te torna superior? De verdade? 

 Entenda, não estou dizendo que toda data de orgulho é uma enganação. Só que, normalmente, isso vem de grupos muito mais perseguidos do que um cara de óculos no ensino fundamental. Sim, é uma merda, especialmente nessa idade, mas devemos olhar um pouco de fora e entender que ser nerd não é a mesma coisa do que ser parte de outros grupos que sofrem preconceito

 E, por não sermos partes de um grupo assim, não sabemos nos portar com esse tal de orgulho. Sim, estou generalizando na maior parte, existem pessoas de qualquer grupo social que se comportam de maneira diferente, e blá blá blá. Só que a quantidade de idiotas que aparecem no 25 de Maio querendo levantar bandeira de superioridade é inacreditável. Especialmente quando há uma conivência social com esse tipo de sujeito. Isso mesmo, nós vimos Star Wars e portanto entendemos mais sobre ser bom e essas coisas. Não, caralho, não!

 Compreenda isso de uma vez: você não é melhor que os outros por escolher jogar um videogame no seu tempo livre. 


 Nem pior.


 Esse é outro ponto que quero abordar. Nós somos muito julgados por nossas escolhas, especialmente na escola. E, sim, é uma merda, pois você está moldando seu estilo de vida justamente quando outros idiotas estão presentes o suficiente no seu convívio social para te zoar o dia inteiro. E isso acaba ficando com você. Ano passado (leia o caso Bloodborne), eu estava na merda, e cheguei a me perguntar o que estava fazendo com meu tempo livre. Discutindo joguinhos e quadrinhos? Porra, eu devia estar pegando mulher e malhando! Pois, não importa quanta nerdice esteja presente na mídia, o ideal social é sempre ficar bonitão e transar muito.

 Mas Lojinha, o que você está dizendo? Que eu devo ter e não ter orgulho de ser nerd? Não, estou dizendo para parar com essa ideia de superioridade e entender que ninguém é melhor que ninguém, especialmente por decidir qual filme vai ver no cinema. Você é uma pessoa que entrou no bloco social chamado de nerd, e o coletivismo te deu forças para continuar sendo o que era. 

Sim, você deveria ter orgulho do que é. Não existe ninguém igual a você. Eu não vou encontrar alguém que queira discutir tanto Undertale, a decadência da segunda temporada de My Little Pony, o tratamento dos personagens femininos nas mídias, a quebra de clichês, Inimigos Superiores do Homem-Aranha, Boku no Hero Academia, papel do Jedi na trilogia clássica e como Nextwave é foda e todos deveriam ler. Talvez encontre um grupo que compartilhe de alguns desses gostos, mas, no geral, só eu vou gostar de tudo na mesma quantidade.

 Portanto, pare de se reafirmar perante à sociedade. Pare de se achar melhor, e no outro espectro, pare de se achar pior. Você não é um bostão por gostar de Star Trek. Pare de dar ouvidos àqueles que falam que são melhores que você e não repita o que eles falam. Não é uma questão de mudar quem é o oprimido e quem é o opressor, e sim entender que cada um é seu cada um e somos fodas por isso. 

 Sim, você deve ter orgulho. Ser você é incrível, uma experiência única. Cada coisa que você gosta faz parte de quem você, e nunca tente mudar para algo que não sente confortável. As pessoas só vão gostar de você quando você gostar de si mesmo.

 Só não deixe esse orgulho crescer e ser maior do que si mesmo.

Atos Finais