Novidades

16 de dezembro de 2015

Sobre as acusações de Machismo nos quadrinhos.


Não está sendo fácil


Pois bem, meus caríssimos leitores, (Faz tempo que não posto aqui, hein? Puta Merda). Hoje trago a vocês um post um pouco diferente daqueles que normalmente estão neste amado site: Um post de opinião. Vamos lá!

Então jovens, eis que estava eu surfando nas interwebs quando me deparo com o seguinte post:

Manara, seu safadinho



 Até aí tudo bem, uma página que eu admiro põe um link na minha timeline que diz estar criticando o machismo nos quadrinhos e logo penso: "Tudo bem, o machismo nos quadrinhos EXISTE e vem diminuindo cada vez mais, mas vamos ver do que se trata o post." 


“Achei tudo tão hilariamente horrível. Conheço um monte de gente vai dizer ‘é apenas um desenho animado’ ou ‘não é real’, mas o que as pessoas não percebem é como essas imagens podem realmente afetar as mulheres - e homens. Nós estamos perpetuando uma imagem que é fisicamente impossível alcançar. Há algo de errado em ter mulheres fortes combatendo o crime? Ou será que elas precisam ter bundas em forma de coração para ter sucesso?”

A parada dos quadrinhos (Pelo menos os de super heróis) é realmente exagerar ao extremo os elementos presentes em nosso mundo. Assim como as personagens femininas utilizam roupas ultra coladas e Sensuais, os personagens masculinos fazem exatamente o mesmo, exibindo seus corpos em suas calças e camisetas apertadas e seguindo um padrão de beleza completamente E-X-A-G-E-R-A-D-O.


Às vezes até demais, né Liefeld?

Ao observar toda a campanha, fica muito claro que os organizadores conhecem superficialmente o universo que estão criticando. Há anos que os roteiristas, desenhistas e editores vêm tentando fazer do quadrinho uma mídia cada vez mais inclusiva, quebrando diversos paradigmas e trazendo o protagonismo também para personagens negros, mulheres ou que têm corpos que se encontram fora dos padrões impostos pela sociedade. Cito como exemplo: A Fase do Homem Aranha Miles Morales por Brian Michael Bendis, o fato da Thor do All New Marvel ser uma MULHER e a (muito boa, por sinal) revista Garota Esquilo (All New/ All Different Marvel) Escrita por Ryan North e desenhada por Erica Henderson.



Isso sem falar que as super heroínas em sua maior parte são SIM um grande símbolo das mulheres independentes ("DJÉSSIKAAAAH" Jones tá no Netflix aí pra todo mundo ver), tanto nos quadrinhos quanto em adaptações para diversas outras mídias.



É fato que EM PLENO "SÉCULO" 2015 o machismo nos quadrinhos (Assim como em quase todos os lugares) ainda existe em casos onde a mulher é sempre vitimizada ou submissa (COF, COF, MANGÁS), e este machismo deve SIM ser combatido, mas GENERALIZAR, acusar e culpar toda uma mídia pela burrada de uns e outros é  inaceitável.


É importantíssimo dizer que este post não é nenhuma tentativa de atingir ou atacar sites terceiros, trata-se apenas de um artigo de opinião, que não reflete o pensamento de todos os membros do site pontodeignicao.com.br




Atos Finais