Novidades

2 de dezembro de 2015

Conventionis: Capítulo 27 - Sobre três almas quebradas



 Dalan foi o primeiro a cair nas pedras da praça, usando uma das mãos para se firmar no chão. Levantou a cabeça e avistou Lordred do outro lado, correndo com a espada serrilhada em uma intenção assassina. Os olhos do rapaz faiscaram e ele disparou, tomando a frente das outras duas.

 - AAAH! - Gritou, dando tudo de si em um golpe. Suas mãos brilharam e ele uniu as duas à frente do corpo, conjurando um mar de gelo que rugiu na direção do orc. Ele parou e se firmou, contendo com dificuldades o ataque com sua espada. O gelo ainda avançava, mas Lordred urrou e levantou sua arma, arremessando a onda para cima, onde ela se despedaçou.

 Contudo, o ataque não havia terminado. Amanda estava correndo ao lado da trilha recém-formada, quando viu o gelo subir aos céus. Imediatamente subiu o construto, deslizando e tropeçando. Antes que o orc pudesse fazer algo, ela saltou e usou seus poderes de vento para fazer cair uma chuva de lascas contra o adversário.

 Lordred recuou, ao ponto em que a garota escorregou desajeitada para o chão. Sangue escuro pingava dos ferimentos do orc, que se preparou para atacar. Contudo, notou um vulto atrás de si e rapidamente virou, defletindo o ataque de Sophie.

 - Droga. - Resmungou a garota, voltando a ficar visível. Seus poderes não funcionavam muito bem quando estava em movimento, e não adiantaria tentar algo que a exaurisse tanto em uma luta daquelas. Suspirou e partiu para cima do adversário, e suas lâminas se chocaram seguidamente, enchendo o ar com o som do aço. Contudo, rapidamente a força dos ataques do orc a fizeram recuar, se aproximando da parede mais atrás.

 - Sophie! - Gritou Amanda. Virou o rosto para Dalan, mas o rapaz continuava exaurido. Tateou desajeitada sua cintura e puxou a pistola, mirando rapidamente e disparando duas vezes. O primeiro tiro errou seu alvo, mas a segunda bala se alojou no ombro do orc, esguichando sangue. Ele se virou furioso e partiu para cima dela. Sophie tentou impedi-lo, mas errou o golpe.

 - NÃO! - Gritou, e a companheira atirou desesperadamente para se proteger. Contudo, Lordred girou a espada e desviou os dois tiros, o que paralisou a adversária. Estava prestes a cortá-la ao meio quando um aríete de gelo o acertou, jogando-o para longe. Poeira subiu no ar, e Dalan ofegou diante de seu trabalho, encharcado de suor. Por um momento a praça se silenciou, dando uma pontada de esperança nos garotos, mas a lâmina rubra de Lordred cortou o ar, afastando o pó e revelando o orc de pé, com uma expressão furiosa no rosto.

 Ele está vindo pra cima de mim, pensou Dalan com o coração perdendo o compasso. Estava prestes a recuar quando viu as costas de Amanda e Sophie se colocarem entre ele e o orc, as duas com as armas em mãos. O rapaz sentiu o peito aquecer. Elas estão me protegendo, mesmo depois de tudo. A vergonha por seu comportamento recente também aflorou, trazendo algumas lágrimas que controlou para não caírem.

 Sophie respirou fundo, apertando o punho de Valor, os olhos bem atentos em Lordred. - Quantas balas sobraram? - Perguntou para a companheira.

 Amanda girou a pistola. - Duas. - Sophie gritou e ela tirou os olhos da arma, vendo que o orc disparava em sua direção. A espada serrilhada desceu para arrancar seu pescoço, e a garota saltou desesperada para trás. A lâmina cortou violentamente o ar, levando um pouco de sangue em seu arco. Amanda caiu com a mão no nariz sangrento, e atirou com a pistola, errando o adversário.

 Uma bala, se lembrou. Arrastou a mão perto do chão e usou seus poderes para jogar a poeira aos olhos do adversário, que guinchou. Sophie já estava na ofensiva, retalhando as costas de Lordred com Valor. O orc trincou os dentes e brandiu a espada para trás, lanhando o ombro direito da garota. Sangue subiu em uma cachoeira, e ela não conseguiu nem gritar antes de tomar um soco no rosto, sendo arremessada para longe.

 - SOPHIE! - Gritou Amanda com o rosto ensanguentado, e Lordred voltou suas atenções para ela. Conseguiu arregalar os olhos antes de saltar para o lado, rolando no chão e correndo de volta a Dalan, que tentava se recompor para um novo ataque que varou o ar. Enquanto disparava, olhou para o lado em busca da companheira caída. Não a encontrou. 

 Chegou a Dalan, e o ajudou a se levantar. - Diz que você tem um plano, porque não faço a menor ideia do que fazer. - Pediu a garota. O rapaz suspirou, encarando o orc que se aproximava. Seus olhos foram até a gigantesca espada serrilhada, e uma ideia brotou em sua cabeça.

 - Tenho um plano! - Soltou assustado antes de passá-lo mais uma vez em sua mente. - Pode ser um pouco suicida, mas... - Lordred começou a correr.

 - Acelera isso aí! - Gritou Amanda.

 - A espada! Temos que pegar a espada! - Se preparou para fazer isso, mas a companheira já havia disparado à sua frente. - AMANDA!

 Eu não vou deixá-los morrer, pensou a garota enquanto avançava. De jeito nenhum. Viu a espada rubra descer em sua direção e se jogou para trás, escorregando nas pedras empoeiradas. A lâmina acertou o chão à sua frente, lançando lascas de rocha para o ar. Lordred retirou a arma e tentou estocar mais duas vezes, mas a adversária agora corria ao seu redor. Seus olhos estavam bem abertos, procurando a chance que precisava.

 Com a mão livre, invocou o vento e voltou a jogar poeira contra o orc, que se protegeu. Agora! Derrapou para parar e apontou a pistola, atirando bem na mão de Lordred. que tilintou ao cair no chão. Amanda aproveitou e pulou em cima do orc, o desequilibrando e agarrando seu pescoço.

 - AGORA, DALAN! - Gritou sem nem enxergar o companheiro, lutando bravamente para enforcar o pescoço grosso do adversário com o braço. Contudo, foi agarrada pela perna e jogada contra o chão com uma força absurda. Sentiu as costelas estourarem e o sangue encher a garganta, perdendo momentaneamente a noção de onde estava. Antes que recuperasse, uma botina se afundou em seu estômago, a fazendo cuspir o sangue acumulado. Levantou os olhos e conseguiu ver a expressão tomada pela fúria de Lordred. Foi a última coisa que viu antes de seu mundo escurecer, pois a bota do adversário pisoteou seu rosto, partindo o nariz. 

 Amanda vai morrer, percebeu Dalan, e correu desesperadamente para ajudá-la. Sua mente captou a presença da espada serrilhada caída no chão, mas o rapaz instantaneamente esqueceu daquilo. ELA VAI MORRER! Seus olhos se encheram de relâmpagos e ele congelou um caminho que o separava da companheira. Lordred viu aquilo e parou para olhar para o garoto, que se jogava no chão congelado para deslizar rapidamente até Amanda. Com os dentes trincados, ergueu a mão e um pequeno pilar de gelo se materializou no fim da trilha, no qual ele bateu com o ombro para cessar seu movimento. Levantou a cabeça, vendo que o orc se agigantava à sua frente.

 - Vá pro inferno. - Grunhiu, e usou as duas mãos para conjurar um aríete de gelo que acertou o orc no meio do peito. O construto foi tão forte que catapultou o adversário para o alto, fazendo-o voar alguns metros antes de cair pesadamente no chão. Dalan arfou sem ar, quase caindo pelos joelhos bambos. Se virou para Amanda, com o rosto inchado e empapado de sangue. Não estava consciente.

 - Ei, ei, ei. - Chamou fracamente o rapaz, desabando ao lado dela. Estava aterrorizado, mas antes que conseguisse tocá-la, ouviu o som de metal se arrastando. Olhou por trás do ombro, vendo que Lordred já estava de posse novamente de sua espada serrilhada. Merda.

 A exaustão atordoava seus sentidos, e quando percebeu, o orc já estava à sua frente. Nem viu a cotovelada que o derrubou no chão, mas conseguiu ver a lâmina rubra descer ao seu lado. Sangue espirrou e por um momento apavorante ele pensou que o adversário havia matado Amanda, mas a dor excruciante na mão esquerda tirou essa dúvida.

 - GRAAH! - Gritou por entre os dentes. Viu a arma afundada em sua palma antes de virar o rosto para o orc, que tinha uma expressão odiosa de vitória. Estava pensando em como queria terminar de quebrar aqueles dentes quando arregalou os olhos. Tinha tudo que queria, literalmente, em suas mãos.

 Virou o rosto para a esquerda e concentrou o que restava de seus poderes, se lembrando de quando Sperming o prendeu numa cela. A lâmina vermelha começou a ficar mais pálida, e uma de suas serras se despedaçou. Lordred viu aquilo e rugiu, arrancando a arma. Sangue subiu junto com a dor, mas Dalan já estava sorrindo. Te peguei, pensou quase desmaiando. 

 O orc olhou para a arma e depois para o rapaz, derrubado ao lado de Amanda. Levantou a espada, e Dalan a olhou subir e tapar o sol. Lembrou-se da vez em que fora atacado nos arredores de Gowking pelo mesmo adversário que agora juntava forças. Naquela ocasião, também havia pulado para defender Amanda e Sophie. Sorriu fracamente. Tinha tudo escrito nas páginas de seu diário, que agora eram parte da destruição de Steamunk.

 Sou um idiota mesmo...

 E Lordred desceu a espada serrilhada.

 E ela encontrou uma outra lâmina, prateada, que havia se materializado em pleno ar. As duas se chocaram, e a rubra foi atravessada, se despedaçando. A ponta maior girou para longe, e pequenas lascas vermelhas e congeladas choveram para todos os lados. A segunda espada ainda estava em seu movimento de arco quando um rosto se tornou visível, seus cabelos loiros se agitando, sangue brilhante escorrendo da testa, os olhos verdes brilhando em pura determinação enquanto os pedaços rubros ainda dançavam ao redor.

 - AAAAAAAAAAAAAH! - Estava gritando Sophie, ficando visível enquanto girava Valor, aplicando toda sua força para destruir a enfraquecida espada serrilhada. Também gritava com todo o empenho, e só parou quando sua arma terminou o giro, deixando-a aberta para encarar furiosa Lordred, que agora se via apenas com um cotoco congelado.

 - Isso é por Steamunk. - Anunciou, e girou novamente Valor, cortando a mão da espada do orc. - E isso é por Gowking. - Avançou e estocou o estômago do adversário, não dando tempo para ele entender a dor que sentia. - E isso é por Carla! - Berrou enquanto saltava para perfurar o ombro do outro. - E isso é por Amanda! - Sangue espirrou do braço verde. - E isso é por Dalan! - Uma canela foi perfurada, fazendo Lordred cair de joelhos. - E ISSO É POR MIM! - Valor atravessou o flanco enquanto Sophie girava, parando atrás do orc. Estendeu a espada, deixando o pescoço do outro pousar na lâmina.

 - E isso... - Ofegou, firmando o aperto na bainha negra da arma. - É PELA GUARDA RELUZENTE! - Puxou o braço e sangue escuro espirrou, manchando o chão alguns segundos antes do corpo de Lordred desabar. Sophie foi a próxima, caindo de joelhos enquanto arfava, soltando Valor. Consegui, conseguiu pensar antes de cair para trás e abrir os braços, sorrindo para o sol acima. Arqueou as sobrancelhas, percebendo que estava errada, e se corrigiu.

 Conseguimos.


Atos Finais