Novidades

23 de dezembro de 2015

Considerações sobre O Despertar da Força



"Eu sei correr sem dar a mão..."

Aparentemente, o dia que muita gente esperava finalmente chegou. Um novo filme de Star Wars. Um novo filme que é realmente bom, fiel aquilo que nos foi mostrado na velha trilogia e ainda assim "moderno". Mas antes de falarmos propriamente do filme, fiquemos com a sinopse:


"Décadas após a queda de Darth Vader e do Império, surge uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que busca minar o poder da República e que tem Kylo Ren (Adam Driver), o General Hux (Domhnall Gleeson) e o Líder Supremo Snoke (Andy Serkis) como principais expoentes. Eles conseguem capturar Poe Dameron (Oscar Isaac), um dos principais pilotos da Resistência, que antes de ser preso envia através do pequeno robô BB-8 o mapa de onde vive o mitológico Luke Skywalker (Mark Hamill). Ao fugir pelo deserto, BB-8 encontra a jovem Rey (Daisy Ridley), que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Paralelamente, Poe recebe a ajuda de Finn (John Boyega), um stormtrooper que decide abandonar o posto repentinamente. Juntos, eles escapam do domínio da Primeira Ordem."


Bem, essa sinopse diz bem resumidamente qual o plot do filme e quem são seus principais personagens. Dito isso, deixo claro desde já que o texto a seguir terá SPOILERS do filme, então, só leiam depois de assisti-lo, beleza?


(~.~)

Talvez o grande mérito de "O Despertar da Força" seja casar o antigo com o novo. O Mundo, o universo que conhecemos da trilogia clássica, o carinho que desenvolvemos com relação a ele, se torna possível aqui por termos um Universo que ainda aparenta ser o mesmo, apenas 30 anos depois.

A presença dos Stormtroopers e de personagens como Han Solo, Chewie, Princesa(agora General) Leia, etc, ajudam na nossa identificação com esse universo, mas, o grande trunfo do filme é conseguir nos apresentar três personagens principais que nós...genuinamente gostamos. Rey, Finn e Poe Dameron são personagens carismáticos, cada um a sua maneira e personalidade. Vai ver é isso que acontece quando chamamos BONS atores para protagonizar nossos filmes, certo, George Lucas?


E tão dizendo aí que ele vai aparecer nos próximos filmes, hein...
Quem esperava respostas nesse filme pode ter acabado se decepcionando. Aqui há mais perguntas que respostas. De onde surgiu a primeira ordem? Quem é Snoke e de onde ele veio? O que houve com Kylo Ren? O que é a Ordem dos Cavaleiros de Ren? O que houve com Luke? Qual o passado de Rey? O que não faltam são questionamentos sobre os novos personagens desse universo, assim como dos antigos. "O Despertar da Força" acaba tendo um papel bem introdutório, apresentando o novo contexto, novos vilões, novos e...velhos heróis cuja principal função no filme mesmo está ligada a existência de Kylo Ren.

E, falando nele, fica difícil não dizer que acabou sendo um vilão decepcionante. Tudo acerca desse personagem é confuso, da forma como cultua Darth Vader, da forma que se comporta quando encontra o próprio Pai. No fim, não sabemos qual é a dele. Ele é realmente tão mal assim?(Bem, lembremos da cena do início do filme onde ele ordena que os stormtroopers massacrem os aldeões de uma vila). Como acabou se envolvendo e se tornando aprendiz de Snoke? Qual a sua real motivação? Bem, isso fica pras sequencias, né? E isso acaba prejudicando o personagem um pouco. Que de vilão que não exita em matar, no final, parece um adolescente mimado e revoltado porque não ganhou o sabre de luz mais TOP da vendinha.

E as batalhas? Ah, as batalhas estão FANTÁSTICAS. Fazendo excelente uso de cgi, as batalhas com as X-Wing são fantasticamente bem feitas e empolgantes. As naves vindo de todos os lados, as perseguições, e até a velha Millennium Falcon brilha com os excelentes efeitos. Era tudo que poderíamos querer. Além disso, as batalhas com sabre de luz estão lindas. Os sabres parecem ter peso quando batem um no outro, passando longe da sensação das batalhas da nova velha trilogia, onde pareciam varetas que se batiam o tempo todo, quase sem impacto. Outro ponto positivo está justamente na batalha final entre Kylo Ren x Rey & Finn. É nítida a diferença no uso do sabre por parte de Kylo, um sith treinado, e dos outros dois que não possuem ou não parecem demonstrar, muita familiaridade com sabres de luz, o que muitas vezes gerou ataques meio toscos, quase mal feitos mesmo, mas compreensíveis pela falta de intimidade com a arma.

O Despertar da Força é nostálgico e "novo' ao mesmo tempo. Seu trio de protagonistas é sem dúvidas competente, e nunca os stormtroopers pareceram tão ameaçadores(e nazistas). Perde pontos por acabar deixando muitas perguntas no ar, e por ter momentos e diálogos forçados e fracos(Quando Kylo invade a mente da Rey com a força e diz que ela considera Han Solo quase como um Pai...sendo que ela conheceu o Han Solo há uns...40 MINUTOS...OI??), mas nada que prejudique ou o torne um péssimo filme. Na verdade, ele é muito bom. É impossível ser fã de Star Wars e sair do filme sem um sorriso no rosto e a certeza de que, sim, você acabou de ver um filme da franquia fora da trilogia clássica que...é realmente muito bom. Vamos torcer e cruzar os dedos para os próximos filmes.


Ah...e a nota que eu dou pro filme?


8,5 Panquecas. Nada mais justo.



Ah, é, e estamos aceitando BB-8s de presente.




De preferência um que dê "Joinha".


Atos Finais