Novidades

5 de novembro de 2015

Bates Motel - 2ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae, galera, belê? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar sobre a segunda temporada do seriado Bates Motel, um prequel contemporâneo do filme Psicose. Vamos lá:




lembrando que já falamos da 1ª temporada aqui )

ENREDO: no final da primeira temporada vimos que a professora de Norman Bates foi assassinada. Ao descobrir que o filho se encontrou com a professora na noite do assassinato – apesar dele não se lembrar disso – Norma Bates resolve convencer o filho de que ele não cometeu tal crime.


Assim, ao longo dessa temporada vamos vendo Norman indo mais fundo em sua loucura e ataques de fúria (que geralmente estão ligados a momentos em que o jovem entra numa espécie de sonambulismo, sem lembrar-se de nada), enquanto sua mãe, Norma, tenta esconder do filho essa sua natureza psicótica.


Ela só não esperava que Norman fosse aos poucos descobrindo isso, com a ajuda de sua melhor amiga, Emma, o que faz o garoto ir perdendo a confiança na mãe. Esse clima de desconfiança gerado por Norma também faz Emma ir se afastando da família Bates.


Enquanto Norma vai tentando esconder de Norman sua personalidade mais sombria, ela tem que lidar ainda com seu filho mais velho, Dylan. O jovem, que estava se aproximando da família, acaba se reafastando da mãe e irmão ao descobrir a verdade sobre seu passado e o de sua família.



Além disso, Dylan (e posteriormente Norma e Norman) acaba se envolvendo em uma guerra entre as grandes famílias da cidade, que ganharam suas riquezas com o comércio de drogas. Cabe ao xerife Alex Romero evitar que os danos desse embate se espalhem pela cidade. O xerife Romero vai descobrindo ainda sobre a personalidade psicótica de Norman, e que talvez o jovem tenha ligação com o assassinado de sua professora...



PONTOS POSITIVOS: o ponto principal dessa temporada - e que realmente deve ser o centro dessa série - é como Norman Bates vai ficando cada vez mais louco. Nessa temporada, vemos Norman tendo blackouts, não se lembrando o que fez em determinados momentos; vemos ele ter ataques de ira injustificáveis; vemos ele acreditando com plena certeza que é outra pessoa, ou que outra pessoa fez o que na verdade foi ele que fez... enfim: uma séries de distúrbios mentais.


E o pior é que a mãe de Norman, Norma, só incentiva que o filho fique cada vez mais insano, ao desmentir os problemas psicológicos do garoto. Se isso não bastasse, a série continua a tratar muito bem a relação de profunda dependência entre Norma e Norman, e vamos vendo como a mãe é fruto e catalizador de muitas das atitudes irracionais do filho.


Por fim, vale citar o foco a mais que a série deu em personagens interessantes, como o xerife Romero, que se mostrou um cara bacana; Dylan, que ganhou mais importância em seu trabalho; entre outros. Em contrapartida, a série também não se preocupo em estender alguns arcos que logo de cara pareceram desinteressantes, restando a esperança de que continuem ignorando estes elementos sem graça na série.



PONTOS NEGATIVOS: Se o desenvolvimento de Norman nessa temporada foi positivo, o de Norma não foi tanto assim, ao envolverem a personagem em tramas desinteressantes, como seu envolvimento com os ricaços da cidade. Poderiam ser arcos mais interessantes se tivessem maior impacto na relação entre ela e Norman, já que tal relacionamento é um dos principais pilares da série.


Além disso, continua a sensação de que alguns arcos, ainda que bons, estão fugindo demais do que deveria ser o centro da história. Entre eles, podemos citar a grande briga entre famílias traficantes, que acaba atingindo todos os personagens principais. No fim, apesar do possível impacto positivo nos personagens, parece que foi tudo muito exagerado.


Fazendo paralelo ao ponto positivo acima, se tiveram personagens bons com mais tempo de tela, também tiveram alguns com menor participação, como Emma, que em metade dos episódios não teve muita importância; entre outros.


EAE, VALE? nessa segunda temporada, Bates Motel começou a mostrar mais fortemente indícios de que, caso se estenda demais, a série se envolverá em tramas exageradas e irrelevantes. Apesar disso, felizmente tiveram vários momentos mostrando o desenvolvimento da personalidade bizarra e psicótica de Norman Bates, o que é o grande centro da série.


NOTA: 7/10

Atos Finais