Novidades

28 de outubro de 2015

Penny Dreadful - 1ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae, chuchus, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar sobre a primeira temporada de um seriado com boas doses de terror, drama e fantasia: Penny Dreadful. Vamos lá:




Enredo: a série se passa na Inglaterra, na virada do século XIX para o XX. Logo no início somos apresentados a sir Malcolm Murray, um aristocrata e famoso explorador que está atrás de sua filha, Mina, que desapareceu. Ele conta com a ajuda de Vanessa Ives, a melhor amiga de Mina desde a infância, que, por ter dons sobrenaturais, descobre que Mina foi levada por algo que não é deste mundo.



Em sua busca por Mina, sir Malcolm e Vanessa vão angariando aliados, como Ethan Chandler. Ele é um habilidoso pistoleiro americano, que utiliza-se do bom humor e carisma pra esconder segredos passados (como o fato de aparentemente também ter suas próprias habilidades sobrenaturais).



Outro aliado na missão de sir Malcolm é o doutor Victor Frankstein, que vê o sobrenatural como ciência. O jovem doutor também tem um passado complicado, que envolve sua busca de romper as barreiras da morte, trazendo pessoas de volta à vida.



Aos poucos, este grupo (com a ajuda ainda de outras pessoas, como Sembene, o mordomo e antigo aliado de sir Malcolm) vai descobrindo mais sobre o paradeiro de Mina e sobre quem a raptou. Basta dizer que parece ter sido um ser antigo, com dentes afiados e que bebe sangue, e que pode ter usado Mina apenas como uma isca para alcançar outras pessoas...




Pontos positivos: o grande ponto alto da série é o clima de “Liga Extraordinária”, ao unir vários seres e clichês da mitologia clássica de terror. Assim, vemos vampiros; magia negra/bruxaria; monstros ressuscitados (“ain, Frankstein é o nome do doutor...”); lobisomens... Penny Dreadful trás um pouquinho de tudo isso.



Claro que tantas criaturas sobrenaturais abrem espaço pra vários momentos de terror excelentes. Aquele momento em que o ambiente inteiro fica escuro, e um personagem tem que explorá-lo com uma pequena lanterna; ou aqueles (principalmente estes) em que outro personagem é possuído por forças demoníacas... Penny Dreadful tem vários desses momentos de tensão e terror bem legais.


Vale citar a atuação de alguns atores, que ajudam na ambientação da série. Primeiramente, Eva Green está espetacular em seu papel de Vanessa Ives (dá um Emmy pra essa mulher!). Não vou falar o que rola nas grandes cenas dela, pois merecem ser vistas, apesar de serem assustadoras. Além disso, Timothy Dalton também manda muito bem em seu papel de ricaço velho malvadão (e ainda mais quando mostra seu lado mais sensível). Por fim, vale citar os atores do “núcleo Frankstein”, que geram momentos bem emotivos.





Pontos negativos: podemos começar falando do vilão, que pelas descrições da série parece ser algo muito antigo e poderoso (“destruirá o mundo...”), mas que no final não parece ter suas habilidades e personalidade bem definidas, e é derrotado muito facilmente (o que implica em ponto negativo pras cenas de ação). Rola até aquela dúvida se ele era mesmo o “chefão final” ou se tinha algo a mais.


Além disso, tem alguns personagens mais famosos do público que parecem ter morrido muito cedo, deixando aquela sensação de que poderiam ter utilizado melhor.



Eae, vale? Penny Dreadful é uma boa série de fantasia e terror, que prende o público pelos bons personagens, que em sua maioria têm um pezinho no mundo sobrenatural. Infelizmente, os vilões foram mal explorados e explicados, deixando a sensação de que foram desperdiçados (o mesmo vale para alguns personagens famosos). Mas no geral, vale à pena.



NOTA: 8/10

Atos Finais