Novidades

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

How to get away with murder - 1ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae, chuchus, beleza? Aqui quem fala é o DPCB, e hoje vamos falar de uma série que me irritou muito, mas que ainda assim não conseguia parar de assistir: How To Get Away With Murder. Vamos lá:




Enredo: a série começa nos mostrando um acontecimento importante na vida de Wes Gibbins; Laurel Castillo; Michaela Pratt e Connor Walsh, quatro estudantes de direito: eles mataram uma pessoa, e em meio ao desespero e culpa por terem feito isso, pensam em como não serem pegos pelo assassinato, utilizando para isso alguns conhecimentos práticos que aprenderam na aula de Direito Penal da famosa professora e advogada Annalise Keating.



Enquanto vemos o que os quatro jovens (e outras pessoas) fazem em relação ao crime, vamos vendo flashbacks de 5 meses antes, que nos mostram o início das aulas com a professora Annelise. A genial e rígida professora escolhe os quatros jovens (e mais um quinto aluno, Asher Millstone), por serem os que mais se destacaram nas aulas, para trabalharem junto com ela e com seus sócios nos casos em que ela enfrenta em seu escritório de advocacia.


Assim, enquanto vamos conhecendo mais da personalidade e cotidiano dos jovens, assim como o de Annelise, vemos também o que levou os quatro estudantes a cometerem o assassinato mostrado logo no início. Como pista, basta dizer que o crime cometido pelo os quatro estudantes tem relação com o assassinato de outra pessoa: Lila Stangard, uma bela e jovem estudante que foi encontrada morta em uma das fraternidades da faculdade.


Coincidentemente, a vizinha de Wes, Rebecca, possui informações sobre o caso, que por uma série de fatos acaba envolvendo Annelise, Wes, e seus companheiros de faculdade.



Pontos positivos: querendo ou não, o clima da série te prende muito rapidamente. Logo no início somos apresentados a quatro jovens que estão totalmente desnorteados por terem matado alguém, e nos interessamos com o que eles farão em relação a isso, e como continuaram escondendo tal segredo. A trama fica mais interessante quando sabemos quem foi assassinado, e posteriormente fica ainda mais complexa quando descobrimos todos os fatos por trás do assassinato.


Além disso, os quatro jovens que cometeram tal crime são personagens bem interessantes, e é legal vê a mudança em suas personalidades após o acidente. Inicialmente, Wes é o cara tranquilo, de bom coração; Connor é o competitivo da turma; Michaela é a garota idealista que deseja ser perfeita; Laurel é a jovem inteligente e tímida da turma, que aos poucos vai se soltando. Basicamente, são quatro jovens estereotipados de filmes ou séries sobre grupo de estudantes. Porém, eles vão mudando totalmente, principalmente após se envolverem em um assassinato.


Por fim, como as descrições acima mostram, a série adora trabalhar com estereótipos (Annelise, Wes e Michaela são negros; Connor é gay; há personagens que sofreram estupro; etc.), e apesar de eu odiar isso, tratam bem destes assuntos mais polêmicos, não ficando forçado, na maior parte do tempo.



Pontos negativos: os personagens são burros. É revoltante, por exemplo, como os quatro estudantes tomam decisões estúpidas em relação ao o que fazer em relação ao assassinato, ou como Wes toma uma série de atitudes impensáveis por causa de Rebeca, sua vizinha problemática.



Vamos falar da protagonista, Annelise. Todo mundo sabe que Viola Davis, a atriz que faz a personagem, é excelente. Porém, deram uma personagem meio indefinida pra atriz: tem hora que ela é a mulher decidida e advogada imponente, que domina qualquer situação; mas logo depois ela é a mulher desesperada, que se desespera facilmente (levando-a a tomar várias decisões burras).



Os casos que Annelise cuida como advogada, e o jeito como mostram o Direito na série, também é muito fraco. Basicamente, aparece um cliente problemático no escritório de Annelise, querendo ajuda dela pois ela é a melhor. Aí o cliente mente pra ela, o que complica que ela ganhe o caso. Mas no final ela dá um grandioso discurso no tribunal e fica tudo bem. No fim, não importa como o Direito é, pois Viola Daves cuida de tudo com uma eloqüente apresentação na Corte, que deixa todos com inveja.



Eae, vale? Infelizmente, não. How to get away with murder mostra diversos personagens interessantes, mas que tomam uma série de decisões ilógicas, o que acaba irritando. A série prende muito, mas porque você fica interessado em saber como os personagens vão se livrar das cagadas que fizeram anteriormente.



NOTA: 6/10

Atos Finais