Novidades

8 de setembro de 2015

Unbreakable Kimmy Schmidt - 1ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae galera, beleza? Aqui quem fala é o Pequeno Cícero Empregado (por isso posto quase nada agora) e hoje vamos falar da 1ª temporada de uma série de comédia da Netflix: Unbreakable Kimmy Schmidt. Vamos lá:


  
ENREDO: A série conta a história de Kimmy Schmidt, uma jovem que foi raptada aos 15 anos pelo reverendo Richard Wayne, um fanático religioso que disse pra Kimmy que, na verdade, estava salvando ela do apocalipse. Assim, Kimmy ficou presa por 14/15 anos com outras três garotas (uma fã do reverendo; uma melhor amiga ingênua e medrosa; e uma senhora mexicana que não fala inglês), até que um dia foram achadas pela a polícia.


Assim, Kimmy se vê livre em um mundo que não conhece, cheio de novas dificuldades. Porém, isso não intimida a garota, que resolve manter o bom humor e a força. Kimmy resolve seguir seu sonho de ir morar em Nova York, e lá, vai morar no apartamento de Lillian, uma velha maconheira comunista, tendo que dividir sua casa com Titus, um artista fracassado negro e gay (estereótipos mais de 9.000!).


Além disso, ela arranja um emprego como babá, trabalhando para Jacqueline, uma típica esposa arrogante de um milionário novaiorquino que vive viajando. Kimmy vai assim aprendendo a viver no “mundo moderno” com a ajuda de de Titus e Jacqueline. Tudo enquanto lida com as conseqüências de seu passado de cativeiro.



PONTOS POSITIVOS: apesar de demorar um pouco a aparecer, o humor nonsense é muito bom, sem falar que, pra quem gosta, geralmente é relacionado a uma crítica social (como quando dizem pra Kimmy que beleza depende de cirurgias plásticas, e por isso ela vai falar com um cirurgião plástico... que parece um Dr. Frankstein maluco). Como o principal objetivo da série é divertir, essa característica conta muitos pontos.



PONTOS NEGATIVOS: os personagens, incluindo a protagonista, não são muito cativantes ainda, apesar do potencial. O problema com Kimmy é que nem sempre sabem usar a piada dela ser alguém deslocada no tempo. Já com os demais personagens, erram ao querer forçá-los como “pseudo-protagonistas”, tendo sempre que dar um plot próprio pra eles nos episódios, o que acaba muitas vezes sendo sem propósito e desinteressante.


Além disso, a série tem erros típicos e irritantes de séries de humor, como os relacionamentos amorosos da protagonista que duram nem quatro episódios, sendo logo substituídos por outros; personagens burros que geram situações vergonhosas sem graça; os já citados plots inúteis de personagens secundários; etc.




EAE, VALE? Apesar dos diversos erros bobos comuns de séries de comédia, Unbreakable Kimmy Schmidt é uma série que tem um humor nonsense (humor besta, vai) muito bom. Resta agora esperar que nas próximas temporadas invistam mais nesse estilo de humor e no carisma dos personagens, que têm potencial.


NOTA: 7/10

Atos Finais