Novidades

16 de julho de 2015

Homem-formiga - por PCB

Pois bem, pois bem! Eae, galera, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar sobre o novo filme da Marvel: Homem-formiga. Vamos lá:





(com  spoilers)


TRAMA: Hank Pym é um antigo cientista da SHIELD que descobriu uma fórmula que permite alterar o tamanho das coisas. Porém, por razões pessoais resolveu deixar essa fórmula escondida, mesmo de sua filha Hope e de seu pupilo Darren Cross.
 
Hank e Darren


Porém, este descobriu como replicar a fórmula (de maneira quase perfeita), planejando usá-la para fins comerciais-militares. Hank, então, auxiliado por sua Hope, resolve que precisa roubar a descoberta de seu antigo discípulo.

Hope

O ladrão escolhido por Hank para realizar este importante trabalho é Scott Lang, um habilidoso assaltante que deseja se reaproximar de sua filha (paralelo entre Scott e Hank, que também tem desavenças com Hope que deseja superar).

Scott

Scott decide, então, ajudar Hank, pra evitar que a nova fórmula de Darren Cross seja comercializada e traga perigo ao mundo, buscando ser assim o herói que sua filha acredita que ele é.



PONTOS POSITIVOS: bem, vamos começar falando do ponto que seus conhecidos “não-nerds” comentaram: “ain, não tem como um herói que é amiguinho de formigas convencer...”. Só digo que pode levar esses amigos no cinema pra mostrar que eles estão errados. As cenas de ação são muito legais e variadas, explorando bem os poderes do herói, deixando de lado aquele medo de que só veríamos dois seres minúsculos se batendo. Tem sim momento para essas “ceninhas” galhofas e cômicas, mas tem muita porradaria da boa.


E além destas lutas divertidas (que deixaram o público rindo alegremente durante toda a batalha final), o filme tem vários outros momentos engraçadíssimos. O bom e velho padrão de humor da Marvel, que envolve piadinhas rápidas; batalhas descontraídas; Stan Lee e coadjuvantes hilários está magistralmente representado em Homem-formiga. E ponto especial pros colegas ladrões de Scott, que dão um show de carisma e humor.


E falando na gangue de assaltantes de Scott, Homem-formiga tem todas as características de um filme de herói (como a batalha com o vilão no final), mas é também um filme de assalto. É bem legal ver Hank, Scott e seu grupo preparando todo o esquema, tendo cada um sua função. Ah, e como o próprio nome do herói indica, uma parte importante deste grupo é um exército de formigas que Scott precisa aprender a controlar. Pode parecer ridículo, mas com o tempo você aceita, ainda mais pelas habilidades próprias de cada espécie destes pequenos insetos (verdadeiros super-poderes).


Vale citar ainda o caráter emocional do filme, que serve de motivação pra maioria dos personagens. Scott, por exemplo, pensa sempre em sua filha. O próprio vilão, Darren, não é um simples “capitalista do mal”, mas tem um passado com Hank. O importante é que nós entendemos as emoções dos personagens, sem ter que ficar forçando uma empatia por eles.


Só pra terminar: tem várias referências ao universo Marvel (mesmo a heróis novos que, segundo boatos, “escalam paredes”); aparece o tal “Universo Quântico”, que é um micro-universo, a níveis subatômicos, mas não sei se terá grande importância fora dos filmes do Homem-formiga; tem duas cenas pós-créditos que são úteis.



PONTOS NEGATIVOS: os filmes da Marvel têm dois grandes erros que me irritam muito, mas que felizmente pouco aparecem nesse filme: o desenvolvimento acelerado do herói e furos de roteiro. Quanto ao primeiro, Hank parece se adaptar muito rápido às suas habilidades, tendo pleno controle de quando aumentar e diminuir de tamanho e de como falar com as formigas. Porém, o filme mostra que ele já era um cara meio ágil, além de ter cenas dele treinando seus novos poderes, e ressaltando ainda que ele se esmera muito a fim de proteger o mundo de sua filha de ser destruído.


Essa pra mim foi outra falha: o grau de perigo atribuído à descoberta do vilão, como se esta fosse destruir o planeta imediatamente, sendo que primeiro Darren teria que vender sua fórmula; o comprador teria que planejar o que fazer com esta; O Homem-formiga poderia roubar de volta... ou seja: não é uma ameaça tããão urgente.


Quanto aos furos de roteiro, nada muito sério. O principal, que seria porque escolher justo o Scott Lang pra roubar, está bem justificado. Só me pergunto porque Hank não fez um meio de se comunicar com todos os insetos, mas isso é irrelevante.

Pra terminar, o relacionamento de Scott e Hope é bacana, até porque os atores são bons e parecem se dar bem. Porém, seria melhor se deixassem o relacionamento amoroso só pro próximo filme (grande acerto de Guardiões da Galáxia). Mas apesar disso, o casal não parece forçado (tipo o de Man of Steel), tendo uma construção legal. Ah: só não precisava da clássica cena, já típica da Marvel, do cara sem camisa enquanto a mina dá uma olhada.




EAE, VALE? Um filme divertidíssimo, com muito humor; personagens carismáticos; história fechadinha e referências. Quem diria que um cara que encolhe e fala com formigas pode ser um grande herói...




Nota: 9/10

(agradecer à galeria do filme no site da Marvel que me salvou pra achar imagens pro post)

Atos Finais