Novidades

20 de julho de 2015

Entrevista com Levi Trindade pra Iniciativa HQ

Pois bem, pois bem! Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos fazer um resumo da entrevista do Levi Trindade, editor da Panini, pro canal do Youtube “distopia cast”. Vamos lá:



(você pode ver a entrevista na íntegra AQUI)

Quadrinho nacional: O Levi disse que, pra esse ano, deve vim mais coisa do Vitor Cafaggi, mas que fora isso não há planos imediatos (pode ser que lancem, pode ser que não...). O importante é que o mercado nacional tem crescido, e a Panini (assim como outras empresas) deve continuar investindo nesse ramo.



Revista do Authority vem aí, após fim da atual revista do Stormwatch, ainda esse ano



Revistas singulares: o esquema de lançar revistas com histórias singulares, sem mix (como a atual Batman Eterno, lançada semanalmente), é complicado, pois o custo benefício pode não ser bom. Devem seguir com alguns poucos títulos nesse esquema, mas no geral, segue o padrão de mix


Hierarquia Panini: a Panini é dividida em uma empresa italiana e outra brasileira, sendo aquela a chefe. A italiana planeja os mix mensais, mas claro que há sugestões da Brasileira nesse planejamento. Há maiores discussões sobre materiais idealizados originalmente aqui (ex: Coleção Histórica da Marvel).



Rixa Marvel V DC: antes da Panini, discutia-se se era possível uma empresa lidar com material de ambas empresas. Mas a Panini consegue dar foco pra ambas

Justiceiro do Garth Ennis na fase Max está sendo discutido

Vem aí encadernado da Mulher-maravilha dos Novos 52 (do Azarello) (lembrando que já saíram encadernados do tipo do Superman, Batman, Flash e Aquaman)



Salvat e Eaglemoss: os encadernados da Salvat são formados em parceria com a Panini, não sendo exatamente concorrentes. Quanto aos encadernados da Eaglemoss, o pessoal da Panini também não entende “qualé” a desse método de lançar os encadernados primeiro em cidades do interior. Mas logo logo devem estar chegando a todas as cidades




Terra X vai ser reimpresso, talvez ainda esse ano. Deve rolar muito provavelmente também reimpressão de Transmetropolitan e ZDM (que estavam com a situação meio indefinida por compras baixas). E volume 1 de Preacher vem de novo aí \o/ (3ª reimpressão já, salve engano)

                           



Prazo de publicação: pra ele, o tempo ideal de diferença entre a publicação lá nos EUA e aqui é de uns 9 meses, até porque às vezes há plot-twists que precisam ser alterados pra funcionar aqui

 Devem vir aí mais mix estilo omnibus (encadernados capa dura, com 18 edições reunidas)



Crossed provavelmente não sairá pela Panini nunca (só sai se outra editora quiser...)

“Entre a foice e o martelo” chega (novamente) até o ano que vem!



Sistema de mix: é difícil fazer um mix só com arcos bons, deixando de publicas arcos ruins (sonho de muitos), pois hoje em dia as revistas fazem muita referência umas às outras. Sem falar que há leitores com todo tipo de gosto

Encadernado de Escalpo deve vir só em 2016, 2017. Antes disso com certeza vem encadernado capa-dura de “Y: the last man”. Além disso, há discussões sobre outros, como “Ex Machina”. Um que já está sendo lançado na ordem cronológica e que planejam seguir com isso, até a edição 300, é Hellblazer



Vem encadernado do Homem-animal do Morrison! Talvez venha da Patrulha do Destino e da Liga da Justiça dele



Relação entre TV e quadrinhos: as séries de TV dão uma boa força pro relançamento de encadernados, sendo bem provável o lançamento, por exemplo, de Alias e relançamento de encadernados icônicos do Demolidor, como “A queda de Murdock”. Mas não é assim com todas, já que Powers, por exemplo, não deve continuar



Encadernados de Hora da Aventura foram bem e vêm outros aí

O principal meio de divulgação da Panini tem sido o Facebook, e deve continuar sendo (meio que deixa o site oficial de lado). É importante ainda o pessoal “encher o saco” quanto a pedidos de publicação, pois acaba sendo um meio de feedback do público

Há desejo da empresa por Lobo Solitário, mas as negociações estão em estágios bem iniciais. O mesmo vale pra Ronin (Miller) e pra um encadernado de luxo de Elektra (Elektra assassina; Elektra vive)



Batman: Filho do Demônio será reimpresso




Então é isso aí, galera. A entrevista foi bem bacana, e o Levi tentou ser bem direto nas respostas. No geral, vimos que o pessoal da Panini tem vários planos, apesar de toda burocracia da empresa. Pra mim, acho que o principal erro da empresa é a falta de contato com o público, baseando esta relação apenas no número de vendas. Talvez, uma revista que vendeu mal poderia ter ido melhor se houvesse maior propaganda da Panini, por exemplo. Mas no geral, boa entrevista. Aguardamos estes e outros lançamentos.



Atos Finais