Novidades

5 de junho de 2015

TOP 5 Séries NO Netflix Pra Curtir no Feriadão

Leiam, sorriam e acenem.


Bom, pra muita gente essa quinta + sexta + fim de semana é feriadão. Então, o Tio Aquaman decidiu bolar uma listinha de sériezinhas pra galera curtir. Deixando bem claro que não é uma lista de "melhores séries", "piores". É só uma listinha com séries que eu assisti e curti. Nada demais. Vou tentar variar um pouco o gênero das indicações, ou não, já que tem muita comédia. E antes que alguém reclame "Ain, Aquaman elitista, Netflix tem ki pagá...", meu filho, o mês grátis tá aí pra isso...Enfim, que comece o TOP!


5 - Grace e Frankie (1 Temporada - 2015/Presente)

Essa é mais uma série original do Netflix que estreou esse ano. Ela conta a história de Grace(Jane Fonda) e...Frankie(Lily Tomlin), duas mulheres que depois de 40 anos de casamento, descobrem que seus respectivos maridos Robert(Martin Sheen) e Sol(Sam Waterston) são gays, e que ambos além de sócios, mantinham um caso já há 20 anos. A partir disso, as duas acabam se apegando uma a outra, e superando diferenças que sempre tiveram no passado, aprendendo a lidar melhor com as diferenças de personalidade, já que uma foi uma mega empresária de sucesso, enquanto a outra é uma hipponga incorrigível. Apesar de tratar de um assunto que na vida real seria, no mínimo, traumático, a série é uma comédia, que trata seus assuntos com leveza e bom humor.

Com um pouquinho de drama quando necessário, mas sem pesar a mão, GeF também trata de assuntos relativos a relacionamentos e sexualidade na terceira idade, e é competente nisso. Muito provavelmente, nenhum de vocês vai se interessar pela série por conta dessa premissa, por não ter nenhuma mulher gata(eu acho a Brianna, filha da Grace, gata, mas vocês vão dizeer que ela é gorrrrrda), não ter porradaria franca, mas acho válido indicar mesmo assim. Taí, é o tipo de série pra vocês assistirem com a mãe de vocês. Elas devem curtir.


P.S.: Uma das criadoras da série é a Marta Kauffman, co-criadora de "Friends".


4 - The Cleveland Show (4 Temporadas - 2009/2013)

Pra começa eu digo que..."My name is Cleveland Brown, and I'm Proud to be right back in my Hometown, with my New Family...". Ah..., Cleveland Show. Lembro que há um tempo, eu já tava de saco cheio de Family Guy. Não me entendam mal, eu curto a série, mas essas últimas temporadas...bem, me deram uma canseira. Foi aí que vi o Cleveland Show e curti demais a vibe. É como um FG de várzea, moleque, e mais bizarro.

Nesse spin-off, Cleveland e seu filho, Cleveland Jr., se mudam de Quahog e vão morar na cidade onde Cleveland pai cresceu, Stoolbend. Lá, ele acaba reencontrando e se re-apaixonando por um antigo amor da juventude, Donna, que também tem filhos: Roberta e Rallo. Enquanto Cleveland vai se acostumando a função de padrasto, e seu filho a nova cidade, somos apresentados a alguns dos coadjuvantes mais bizarros que já vi numa série de TV. Temos o Lester, um redneck ignorante mas de bom coração, sua esposa, Kendra, uma obesa mórbida, e o filho dos dois é...um garoto perfeitamente normal e saudável...ao menos. Também temos o casal de ursos, Tim e Arianna, que também são ultra religiosos, além do Holt, um adulto que paga de garotão, e do amigo de Cleveland da época do colégio, Lloyd, um instalador de tv a cabo que...come geral.



The Cleveland Show Season 01 Opening. por heavymetaljesustyler

Acho que só pela descrição dos personagens, cês já devem ter sacado que essa série é meio porra loka, né? Episódios de 20 minutos, rápidos, e com boas piadas. Não precisa de mais que isso.


3 - Sherlock (3 Temporadas - 2010/Presente)

Opa, e tem série inglesa na lista também. Sherlock, para quem ainda não conhece, é uma série da BBC, criada por Steven Moffat(Doctor Who) e Mark Gatiss, e adapta os contos clássicos de Sherlock Holmes(Benedict Cumberbatch) e do Dr. Watson(Martin Freeman) para os tempos atuais. Os vilões, os antagonistas, os casos clássicos dos livros...estão aqui, só que em versões cool e descoladas para as novas gerações que nunca se interessaram pelos livros. Muita gente baba em cima de Sherlock, e merecidamente. O mérito da série de adaptar contos clássicos pros dias atuais é enorme e tal, mas eu tenho problemas exatamente com a personalidade do personagem principal.

O Sherlock da série é tipo...um House. Ele se acha e é mais esperto que todo mundo, mas prefere fazer as coisas do jeito que mais irrite as pessoas. Isso passou a me incomodar a partir do momento em que percebi que eu gostava bastante do Watson, até da Srª Hudson, mas meio que já não suportava o Sherlock e seu jeito meio escroto de tratar todo mundo. Eles até dão uma certa desculpa pra isso, citando que o personagem pode ter Asperger, mas...isso ainda me incomoda. Falando um pouco dos vilões clássicos do personagem, aqui, eles voltaram bem interessantes. Moriarty é um baita personagem que deixou as coisas muito mais interessantes logo no início da série, e a aparição da Irene Adler é, no mínimo, ÉPYKAH.


Enfim, Sherlock é uma boa série , com bem poucos episódios, que podem ser todos vistos nesse feriadão mesmo, apesar de cada um ter cerca de uma hora e meia de duração. Vale lembrar que a série ainda não teve fim, e se encontra em hiato.


2 - Spartacus (3 Temporadas + Minissérie - 2010/2013)

Ah..., Spartacus. Que série foda. Com uma evolução impressionante. Assim como nas milhares de representações da história de Espártaco, aqui, o Trácio vivia uma vida normal com sua esposa, até ser convocado a lutar pelos Romanos. Ao ir de encontro aos interesses do legatus romano Claudius Glaber, Spartacus e sua esposa acabam escravizados e separados. Ele acaba vendido para o ludus de Lentulus Batiatus, onde ele se tornará um gladiador, e tentará conseguir se vingar dos que destruíram sua vida. Essa é a premissa básica da série.

Mas Spartacus tem muito, muito mais coisa que isso. Spartacus é uma série +18. Aqui, a violência é exagerada, suja, sangrenta e gratuita. A putaria também. E olha...tem MUITA PUTARIA. Já cheguei a chamar Spartacus de "Putaria e Sangue". Mas o legal é a gente poder constatar o quanto a série EVOLUI com o passar das temporadas. Cada vez mais a putaria, a porradaria, acabam se tornando secundárias, sendo que as picuinhas políticas, sociais e pessoais acabam ganhando grande destaque. Lembro de ficar extremamente ansioso pra ver como uma certa trama da segunda temporada iria se resolver, porque tudo podia mudar de um episódio pro outro. Num deles, um dos personagens subjugava o outro, estando com a faca e queijo na mão...e aí, no episódio seguinte, toda a vantagem que aquele personagem tinha, que ele abusava, era perdida, e ele era obrigado a se submeter ao outro. Uma rede de intrigas, de aparências, e de gente FDP tentando ferrar com a outra primeiro. Spartacus é tudo isso e muito mais. ASSISTAM. Lembrando que o criador de Spartacus é o Steven S. Deknight, showrunner da primeira temporada de Demolidor, e que o Sam Raimi foi produtor da série...e sim, a Xena também está nessa série *-*


P.S.: A nota triste da série é que o protagonista da primeira temporada, Andy Whitfield, acabou falecendo em 2011. A série já havia começado a produção da segunda temporada, que acabou mudando radicalmente e se tornando a minissérie "Gods of The Arena", enquanto Andy seguia com o tratamento. No seu lugar, entrou o ator Liam McIntyre.


1 - Orange is The New Black (3 Temporadas - 2013/Presente)


"Ain, Aguamé, pq essa série de mulherzinha?" PORQUE SIM.

Orange é FODA. Apenas ACEITEM. Na trama da série, Piper Chapman tem um relacionamento com Larry, um aspirante a escritor, e uma vida aparentemente normal. Até que ela é denunciada e acaba sentenciada a cumprir pena numa prisão feminina, revelando assim, para sua família, que Piper já teve um caso lésbico com uma traficante de drogas internacional, e que colaborou com a ex-amante numa das viagens que fizeram. Essa é a premissa básica da série. A prisão é a personagem principal aqui,. Nela estão todas as mulheres, os guardas, os diretores da prisão, todo um universo particular com suas regras, seus problemas e suas comunidades. Temos as divisões entre as Latinas, as Brancas, e as Negras. Não que as personagens não interajam, não se relacionem entre si, mas pertencer a um grupo, ser parte de uma espécie de "família" é importante, faz diferença lá dentro. Orange possui um estoque de personagens extremamente interessantes, cada uma à sua maneira, com seus problemas e particularidades.


Com um elenco realmente grande, a série consegue contar um pouco da história de quase todas as personagens. Lembro de estar assistindo a segunda temporada, e ver que uma personagem que foi praticamente figurante na primeira, foi protagonista de um dos episódios, além de ser de extrema importância na trama do episódio final. Orange é, pra mim, a melhor série original do Netflix. Sim, achei melhor que House of Cards, Demolidor, Hemlock Grove então? Poutz, nem compara. A série parece estar e ser segura de onde quer ir, onde quer chegar e o que quer fazer com seus personagens. Eu nunca vi uma série que trabalhasse com tantas personagens ao mesmo tempo, no mesmo ambiente, e conseguisse manter as tramas e questões de toda essa gente de maneira interessante. Orange é um fenômeno nisso.


No mínimo, vale a galera correr atrás da série, cuja estreia da Terceira Temporada será na semana que vem, no dia 12.

~.~

Bom, galera, o TOP de hoje foi esse. Espero que curtam, comentem, compartilhem, e deixem aí nos comentários as SUAS indicações do Netflix pro feriadão. Eu falei de séries...alguém aí podia indicar alguns filmes do catálogo, por exemplo.

Por enquanto é só, e amanhã tem Panquecast ;)

Atos Finais