Novidades

2 de junho de 2015

The Wire - 4ª temporada

Pois bem, pois bem! Eae, galera, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar da quarta temporada de The Wire, série da HBO. Vamos lá:





(lembrando que já falamos das temporadas anteriores)


TRAMA: nas temporadas passada, conhecemos Jimmy McNulty, um excelente policial que ajudou a criar, junto com outros policiais, o “departamento de crimes graves”, responsável por usar escutas e outras técnicas de investigação pra derrubar grandes criminosos locais. Porém, no final da temporada passada vimos Jimmy se cansar dessa vida, levando-o a ir pra um departamento de polícia mais tranqüilo (patrulhamento), além de largar sua vida de sexo e bebidas pra começar um relacionamento sério e estável.


Mudanças profissionais e pessoais ocorrem também com vários outros membros do antigo departamento de Jimmy, levando a maioria a largar o departamento de Crimes Graves (alguns são promovidos e têm que ir pra outros departamentos; outros vão pra outras divisões por escolha própria; há ainda aqueles que largam a carreira policial), deixando o departamento praticamente irreconhecível.

Enquanto vamos vendo a antiga equipe de Jimmy trabalhando em locais diferentes de Baltimore, vamos vendo mais da vida da cidade. Como exemplo, podemos falar do grande tempo dedicado a mostrar a vida das crianças que nascem nas regiões mais perigosas da cidade, seja no dia a dia escolar ou em seus primeiros passos no mundo do crime.


Este império criminoso é liderado por Marlo, que tomou (à força) o poder que era de Stringer Bell e Avon Barksdale (aquele foi morto; este, preso). Marlo, então, começa a negociar com os outros traficantes da região, eliminando os adversários que surgem na sua frente e, de alguma forma, desaparecendo com os corpos, tornando os casos irresolúveis pra polícia.


Determinado a mudar a grande criminalidade em Baltimore, o vereador Tommy Carcetti resolve se candidatar a prefeito. Porém, ele e sua equipe vão aprendendo mais sobre as tramas políticas da cidade, envolvendo-se em dilemas complicados.



PONTOS POSITIVOS: como disse na resenha anterior, a série começou a ficar mais complexa, por mostrar vários núcleos diferentes. Mas se achei isso meio estranho na temporada anterior, nessa temporada foi o aspecto principal. Isso acontece porque a série deixa de ser sobre Jimmy e sua equipe (tem episódios que Jimmy nem aparece) para ser sobre Baltimore. Assim, mesmo as tramas que pareciam deslocadas na temporada passada agora ganham utilidade.


Com tanto espaço pra ser trabalhado, a série representa de forma excepcional a sociedade e seus problemas. Na classe alta, vemos, por exemplo, como a corrupção e a burocracia são naturalizadas na política, enquanto percebemos que, para os grupos à margem da sociedade, a vida criminosa é vista como um destino predeterminado a ser seguido. Assim, a série segue tratando muito bem com preconceitos sociais e questões polêmicas (olha que geralmente detesto isso).

Além disso, outros aspectos clássicos da série continuam presentes, como os excelentes personagens, que de fato crescem na trama, e o humor, presente nos momentos certos, sempre excelentes.


Vale citar que, apesar do início da temporada seguir um ritmo mais lento (não entender como sinônimo de cansativo), os cinco episódios finais entram numa crescente que tive que assistir um seguido do outro. E o final da temporada é empolgante, dando um clima de satisfação (além de nos deixar no aguardado pela próxima temporada, deixando um gancho direto pra esta).



EAE, VALE? Uma visão realista e precisa da sociedade; personagens divertidos e verossímeis (cheios de qualidades e falhas); tramas que mesmo básicas são envolventes... estes são apenas alguns dos pontos que tornam essa temporada de The Wire tão incrível. Logo, falaremos sobre a quinta e última temporada da série...




NOTA: 9,5/10

Atos Finais