Novidades

20 de maio de 2015

O Cavaleiro dos Sete Reinos - O Cavaleiro Andante

Pois bem, pois bem! Eae, cavaleiros e donzelas, tudo certo, na paz dos Sete? Aqui quem fala é Pequeno Cícero, escudeiro de sor Ultra da casa Badernista, e hoje vamos falar do conto O Cavaleiro Andante, presente no livro O Cavaleiro dos Sete Reinos (de George R.R. Martin). Vamos lá:




O livro reúne três contos protagonizados por sor Duncan e Egg, seu escudeiro. As histórias se passam em Westeros, cerca de 90 anos antes das Crônicas de Gelo e Fogo (Game of Thrones), e contam alguns fatos citados nas Crônicas, como o que aconteceu na Rebelião Blackfyre.

DUNK & EGG

Vamos começar fazendo um resumo desta rebelião, pois é importante pro background dos contos, e depois falamos do conto.


REBELIÃO BLACKFYRE: Rei Aegon IV era um cara bem legal que não podia ver mulher... tanto é que pegou metade das mulheres do reino e gerou vários bastardos, sendo que, em seu leito de morte, legitimou todos estes.

Neste processo, Daemon Blackfyre (grande guerreiro, filho bastardo de Aegon, que havia recebido do pai a espada Blackfyre, relíquia targaryen) formou uma rebelião contra Daeron Targaryen, o novo rei (que, segundo boatos, sequer era filho de Aegon). Esta disputa dividiu o reino, mas no final, Daemon foi derrotado, em campo de batalha. Porém, muitos de seus partidários fugiram com vida (incluindo alguns de seus filhos).

DAEMON BLACKFYRE

O CAVALEIRO ANDANTE: o primeiro conto do livro se passa 16 anos após a Rebelião Blackfyre, sendo que o poder Targaryen está estabelecido, mas a rebelião ainda é bem lembrada.
TARGARYEN V BLACKFYRE

Neste momento conhecemos Dunk, um jovem plebeu que veio de Porto Real, com quase dois metros de altura, dotado de um coração honesto, uma força grande e um raciocínio lento.

Ele era escudeiro de sor Arla, um cavaleiro andante que veio a falecer. Dunk resolve então pegar os bens do finado mestre e começar sua própria vida de cavaleiro.

Como ato inicial pra sua vida de cavaleiro andante, Dunk – ou “sor Duncan, o Alto” – resolve ir pra um torneio que se realizaria em Vaufreixo. No caminho, para em uma estalagem, e lá conhece Egg, um garoto inteligente e trabalhador, mas que fala o que vier à cabeça. Como este queria sair da estalagem, o garoto acaba se oferecendo como escudeiro de Dunk.


No torneio, Dunk conhece grandes senhores, como Baelor Targaryen, Mão do Rei, querido por todo o povo (e próximo rei, na linha sucessória). Contudo, nem todos os Targaryen são legais, e Dunk acaba arranjando confusão com Aerion Targaryen, jovem violento e sádico; confusão esta que precisa ser resolvida em um julgamento por combate. Neste processo, acaba descobrindo que Egg é, na verdade, um Targaryen, irmão de Aerion.

TORNEIO VAUFREIXO


EAE, VALE? Este primeiro conto, como os demais, apresenta uma trama divertida e leve, não sendo tão complexo como as Crônicas. Vale citar que o conto tem alguns easter eggs das Crônicas pra aqueles que têm um olhar mais atento.

Pra mim, o primeiro conto é o mais fraquinho, até por você não ter ainda aquele apego aos personagens. Mas só vão melhorando, e no final do terceiro, você estará aguardando os próximos 4-9 contos (sim, o Martin pretende escrever mais uns 4, 5, ou 9... e você preocupado dele não terminar as Crônicas...).


Um conto bacana, que dá pra chamar de mediano, mas que foi feito pra isso mesmo, pretendo ser um mero passatempo.



NOTA: 7/10

Atos Finais