Novidades

28 de maio de 2015

Nar... Bor... SARADA GAIDEN Nº5

Pois bem, pois bem! Eae, galere, beleza? Aqui quem fala é o PCB, e hoje vamos falar do capítulo 705 de Naruto. Vamos lá:





ENQUANTO ISSO, NOS EPISÓDIOS PASSADOS... vou deixar o link da resenha passada, pra facilitar...


... E NO EPISÓDIO DE HOJE: Sasuke está prestes a atacar Sarada, quando a garota o chama de pai e ele percebe que ela é sua filha, que não via há anos. Por causa disso, a menina fica magoada.


Então, Naruto chega (com Chouchou...), e Sasuke começa a questioná-lo porque trouxe as garotas. Mas Sarada logo começa a explicar que queria encontrar-lo, inclusive pra perguntar a ele se Sakura era mesmo sua mãe, pois a menina havia visto a foto de Sasuke com Karin e notara certa semelhança (enquanto isso, Sakura estava indo atrás de Sarada).


Porém, Sasuke não dá respostas à garota, e ela sai irritada. Enquanto isso, Naruto pensa que Sasuke não podia estar presente por estar envolvido em uma importante missão: investigar um possível exército criado por Kaguya (a vilã que enfrentaram na fase “final” do mangá).

Neste momento, a cena corta pra Ishin Uchiha, garoto que atacou Sasuke anteriormente, e seu pai. Este tem um corpo cheio de sharingans (tipo o Danzou), e revela que quer ressuscitar a Akatsuki. Em sua volta, há várias cópias de Ishin (o tal exército secreto).


O vilão então se teletransporta pra onde Naruto, Sasuke e Sarada estão, já partindo pro ataque, buscando pegar a garota. Mas Naruto consegue defendê-la, e Sasuke aparece pra enfrentar o líder inimigo...





EAE, VALE? Conforme descobrimos mais sobre os vilões e vamos vendo mais os personagens antigos, suas habilidades atuais e motivações, o mangá ta ficando melhor. Além disso, foi legal ver Sarada lidando diretamente com o pai.


Porém, Chouchou ainda esta ali, tentando ser um alívio cômico que só irrita. E a descoberta de Sasuke, de “ter um vilão muito mais forte que o anterior, sendo que este já era o máximo de dificuldade possível” é um clichê bobo.

No geral, o mangá está num ritmo bom, apesar de algumas falhas, nos prendendo mesmo pela protagonista e pelos personagens com quem já somos familiarizados.




Nota: 7,5/10

Atos Finais