Novidades

23 de abril de 2015

CRÍTICA DE VINGADORES DO LOJINHA

Antes que você pergunte, foi um filmaço. Divertido e cheio de cenas de luta. Vou colocar a nota aqui pra você não ter que descer até o fim e deixar o post somente para mim e meus devaneios.

 9 DE 10 PANQUECAS

Com isso fora do caminho, podemos começar. Como está tarde, vamos fazer um review diferente. Irei responder perguntas que acho que vocês vão fazer. ENTÃO VAMOS LÁ.


O quê mudou de Vingadores 1 para Vingadores 2? O universo cresceu. Não, sério. A Marvel finalmente usou desse ponto forte do MCU como peça-chave, e os filmes dos Vingadores, que servem como marcos de cada fase, são uma mostra disso. Logo no início tem uma festinha que exemplifica bem esse ponto. Nela temos cenas do Capitão conversando com o Falcão sobre o Soldado Invernal, o Máquina de Combate contando histórias pro Thor e pro Homem de Ferro, a Viúva flertando com o Hulk, Maria Hill falando do fim da S.H.I.E.L.D... Isso sem falar da solidificação dos Vingadores como equipe, lutando contra a Hydra. É um novo mundo de aventuras.

Qual o tom do filme? Vingadores 2 é até agora a melhor adaptação de quadrinhos nesse quesito, especialmente das revistas do Bendis. Existem dezenas de piadas espalhadas, muitas causadas pela interatividade dos personagens. Dito isso, as coisas estão um pouco mais sérias. Há espaço dessa vez para emoção e desenvolvimento, mesmo que sejam simples. Parece uma mescla do primeiro filme do grupo com o Soldado Invernal. Uma tentativa do melhor dos dois mundos.

E o Ultron? Me conta do Visão também. Então. Eu não fui fã do Ultron. Talvez porque eu conheça o personagem dos quadrinhos, foi estranho vê-lo como uma cópia amenizada do Homem de Ferro (o que faz sentido, visto que ele foi criado por Stark). Sua origem também é bem corrida, já que em menos de dez segundos ele surge e decide virar malvado. Seu visual no entanto é imponente (especialmente sua segunda forma), e ele consegue segurar o filme como ameaça principal, mesmo parecendo um vilão do Pernalonga em certos momentos.


 Já o Visão foi uma grata surpresa. Ele é extremamente semelhante à sua versão dos gibis, sendo calmo, sucinto e de certas formas espirituoso. Seu visual também é extremamente agradável, e conseguiram fazer com que ele fosse uma adição orgânica à equipe.

E os gêmeos? Pietro é tudo o que esperavam dele. Chato, irritadinho e meio idiota. Já seus poderes, embora não tão bem destacados quanto o Mercúrio do filme dos X-Men, são bem explorados. Ele possui várias cenas desviando balas, salvando civis e enfiando a porrada nas pessoas.

 Sua irmã, Wanda, é fechada, inteligente e também um pouco revoltada. Seus poderes no filme são de telepatia e telecinese, tornando mais fácil o entendimento geral do que "manipular realidades". Seu desenvolvimento no filme acaba puxando o do irmão, que age como um anexo emocional. Tudo que acontece com um, tem imediatas consequências no outro.

Quem tem destaque no filme? Se eu tivesse que escolher um, seria o Gavião Arqueiro. Não porque ele aparece muito, mas porque seu papel está anos-luz à frente do segundo filme. Ele agora tem família, motivação e até o melhor discurso do filme. 

Não que isso o torne o centro das atenções. Uma das grandes habilidades de Joss Whedon é equilibrar seus personagens e dar a eles espaço na trama. Temos o desenvolvimento de um romance com Bruce Banner e a Viúva Negra que não parece muito forçado com o mesmo nível de importância das picuinhas entre a Trindade Marvel. Aliás, foram muitas picuinhas, especialmente entre o Capitão e o Homem de Ferro. Deu pra ter uma noção do que vem por aí em Guerra Civil.

Como foram as lutas? A melhor parte do filme. Se a interatividade dos personagens deu um gás no desenvolvimento deles, ela foi ainda maior nas batalhas. Agora temos combo de Vingadores, com o Thor batendo no escudo do Capitão para gerar uma onda de choque nos soldados da Hydra (GRAÇAS AO VIBRANIUM. CHUPA, AQUAMAN), o Visão batendo com o martelo do Thor, a Feiticeira brincando de tiro ao alvo com o Gavião e muito mais. Tudo isso culmina na cena mais antológica do filme em minha singela e correta opinião, com os nove heróis enfiando a porrada num exército de Ultrons em câmera lenta (CHUPA SNYDER). Lindo. De chorar.

Ah, e algo muito importante. A PRINCIPAL MISSÃO DOS HERÓIS É PROTEGER OS CIVIS. Depois de Man of Steel e o foda-se geral com a cidade de Metrópolis, isso foi um excelente ponto. Os Vingadores saem do caminho deles para salvar quem conseguissem, mesmo significando apanharem pra cacete. 

E isso que os torna heróis.



E o ritmo geral? Houveram alguns problemas. Mesmo que as duas horas de filme tenham passado sem problemas e não ter acontecido nenhuma barriga no filme (grande avanço se comparado a Vingadores 1), as coisas ainda pareceram meio corridas. Certas cenas têm seus desfechos rápidos demais, algo que a edição estranha aprofundou. Mesmo assim, o filme é bem dinâmico, com várias situações ocorrendo ao mesmo tempo. Compare com Game of Thrones e seja feliz.

Me dê spoilers. O.K. Vamos para a lista.

 - A batalha final acontece num pedaço gigante da cidade de Sokovia (Sorovia? Sodoma?) que se desloca da terra e está prestes a virar um meteoro. QUADRINHOS. AMO QUADRINHOS.
 - Mercúrio morre fuzilado por um Ultron de vingancinha.
 - Thor volta pra Asgard, Tony Stark decide se aposentar e o Gavião vai brincar de casinha com sua mulher e filhos.
 - Hulk fica preso no Quinjet, MAS não vai pra fora do planeta nem fica em órbita. O filme leva a crer que ele está sumido na Indonésia.
 - Os Novos Vingadores são formados, com uma base própria com apoio do que sobrou da S.H.I.E.L.D. São eles: Capitão, Viúva, Máquina de Combate, Falcão, Visão e Feiticeira. 
  - Só tem uma cena no meio dos créditos, com Thanos decidindo que está puto e resolvendo fazer as coisas com as próprias mãos. E a Manopla.

Últimas considerações. Mesmo que não seja um filme perfeito, é um filme empolgante. As cenas de luta são de outro nível e a interatividade dos personagens se torna o chamariz principal dessas duas horas e meia. Ele tem alguns problemas em se levar a sério e dar real importância a Ultron no meio do filme, mas usa da família do Gavião como muleta emocional até o vilão realmente se tornar uma ameaça. De forma geral, é a mesma fórmula de Vingadores 1, só que agora com esteróides e vibranium.

Muito vibranium.

Atos Finais