Novidades

17 de novembro de 2014

Até mais, Boardwalk Empire...

ATÉ MAIS, BOARDWALK EMPIRE...




Pois bem, pois bem! Eae chuchus, tudo certo? Aqui quem fala é o Pequeno Cícero Badernista, e hoje vamos falar sobre uma série que passou por altos e baixos, mas que enfim acabou: Boardwalk Empire.


Boardwalk é uma série da HBO, que esteve no ar entre 2010-2014, que teve como um dos grandes atrativos ser produzida pelo o Martin Scorcese. Outro chamariz foi a participação de Steve Buscemi como o protagonista da história, Enoch “Nucky” Thompson. Além disso, o que particularmente me fez acompanhar o seriado foi o Globo de Ouro de Melhor Série atribuído à primeira temporada.


ENREDO
 a história se passa na década de 20, nos Estados Unidos, no período em que a Lei Seca foi promulgada. Basicamente, esta lei proibiu o comércio de álcool, o que levou a uma explosão do crime organizado, que viabilizava a venda ilegal do produto. Nucky Thompson é um empresário de Atlantic City (New Jersey) que aproveita o comércio marítimo e o turismo rico da cidade pra enriquecer neste mercado negro.
Assim, a série é, basicamente, sobre o conflito entre mafiosos. O problema é que a série alongou-se demais, e com isso vimos arcos da história desnecessários; personagens sendo descaracterizados (o próprio Nucky perdeu o carisma); resoluções de roteiro fracas... esta queda de qualidade pôde ser vista no fato de cada vez mais a série perder espaço nas grandes premiações.


                                                    Bebidas, mulheres, mansões e dez mil dólares

A QUINTA TEMPORADA
Por isso que essa última temporada foi uma grata surpresa, solucionando vários desses problemas e apresentando outras qualidades. Vamos falar um pouco sobre isso:

1. Flashbacks: esta temporada foi repleta de flashbacks sobre a vida de Nucky, o que deu aquele clima de Poderoso Chefão II (que mostra o crescimento de Vito Corleone). Ao longo da série nós ouvimos que Nucky teve uma infância difícil por causa de seu pai alcoólatra raivoso; soubemos que o jovem Enoch aprendeu que a honestidade leva a nada, sendo preciso fazer qualquer coisa por seus objetivos; escutamos que ele ofereceu sexualmente uma adolescente para o prefeito da cidade, em troca de poder... e estes flashbacks mostram como e por que tudo isso aconteceu, como o caráter de Enoch Thompson foi construído.


                                Imagem do Nucky velho e novo, além da menininha que ele "vendeu"

2. Objetividade: um problema que a série teve foi os vários núcleos de personagens, o que levava alguns a terem arcos pouco interessantes. Nesse processo, vimos também personalidades serem transformadas de acordo com a necessidade do plot (como ter que ver o Steve Buscemi sendo sedutor, pegador de mulheres em bares...). Mas com a última temporada, eles puderam ir direto ao ponto, eliminando personagens que já não tinham utilidade, e encerrando suas histórias de maneira satisfatória. Outro ponto ligado a isso foi o menor número de episódios em relação às outras temporadas (de 12 para 8), o que permitiu que coisas desnecessárias fossem cortadas (como a “obrigação” de aparecer peitinhos, no bom e velho padrão HBO), focando-se na trama.


                                 O Zod fez um papel na série e acabou assim...
                                                  e vocês reclamando do que o Super fez com ele...

3. Evolução: como a série sempre mostrou o jogo de interesse entra grandes mafiosos, acabava mostrando também os pupilos desses gangsteres e o crescimento destes. Acontece que a série estava enrolando muito nisso, até esta temporada. Finalmente podemos ver o jovem Al Capone deixando de ser um subordinado pra se tornar o grande chefe, líder do crime. Além dele, outros personagens que eram eternos vassalos alcançaram “A CONQUISTA! A CONQUISTA!”, eliminando qualquer barreira em seus caminhos.


                                                    Al Capone, um dos melhores personagens da série

4. O fim: a história de Nucky finalmente foi encerrada, do único modo que pode ser encerrada uma típica trama sobre máfia: Nucky perdeu todo seu império pra uma nova geração de gangsteres, tendo todos seus aliados de negócios eliminados. Nas temporadas anteriores, o penúltimo episódio era do inimigo tomando o controle de tudo, e no último Nucky retomava o poder, mas nessa, ele realmente perdeu tudo. Além disso, seu ideal de passar por cima de tudo por seus objetivos voltou para se vingar dele. Lembram-se da adolescente que o jovem Nucky “vendeu” por favores? O neto dela também se lembrou, quando deu três tiros em Nucky para se vingar de toda dor causada.

EAE, VALEU OU NÃO VALEU?





                                                                É, valeu...

Ééééééé mais ou menos, mais ou menos... essa última temporada foi muito boa, mas a série passou por terrenos sombrios até voltar a este bom padrão de qualidade. Assim, recomendo como uma série pra botar no finalzinho da sua lista de seriados para assistir, mas não precisa ter pressa pra ver. Temos outras séries melhores atualmente sobre estes homens (e mulheres) que fazem tudo por seus propósitos gananciosos, independente das consequências.

Atos Finais